Os Dons Ministeriais – Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres

Texto chave: Efésios 4:11-12


Cinco dons mencionados ficaram conhecidos como “dons ministeriais” ou “dons de liderança”, quais são eles?

Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres.chart

Mas, em primeiro lugar, o que é um dom?

Dom, no grego, é “charisma”, o que literalmente significa: “presente oferecido de boa vontade”. O apóstolo Paulo chamou de charisma um revestimento especial espiritual para a vida da comunidade e o serviço no reino de Deus. Ele usa esse termo 16 vezes nas suas cartas.

“E a graça foi concedida a cada um de nós.” Efésios 4:7. Ou seja, cada pessoa da comunidade recebe graça suficiente para ter sua habilidade espiritual. Ninguém é tão desclassificado ou tão inculto que fique a margem do serviço, porque a graça foi concedida “a cada um”.

os dons ministeriais

1) Apóstolos

No grego a palavra “Apostellein”, ou seja, “Apóstolo”, significa “aquele que é enviado”, “mensageiro” ou “embaixador”, aquele que representa a quem o enviou. Neste caso, um grupo de testemunhas das obras de Cristo eram os doze primeiros, escolhidos por Jesus para pregar seu evangelho. Os doze são: Pedro, André, Tomé, Filipe, Mateus, Bartolomeu, Tiago – filho de Zebedeu, Tiago – filho de Alfeu, Simão – o Zelote, Judas Tadeu ou Lebeu, João e Judas Iscariotes. Também outros (menores) como Paulo, Matias, Marcos, Barnabé, Lucas, Tiago Adelfo, Estevão, Silas, Timóteo e Apolo.

2) Profetas

No sentido primário em que a Bíblia usa a palavra, o profeta era uma pessoa que estava no conselho do Senhor, que ouvia a Sua palavra e que como resultado, falava o que vinha da boca do Senhor e o fazia com verdade (Jeremias 1:9). Deve-se observar que no termo, do que se trata, não há coisa alguma que implique previsão de acontecimentos. Por isso, é provável que no nome-termo não exista coisa alguma que implique previsão de acontecimentos. Deste modo, a palavra grega “prophetes”, significa “aquele que expõe”, “fala sobre certo assunto”, que vem de Deus.

3) Evangelistas

É o que proclama as boas novas, do grego “Euaggélion”. Obedecendo a ordem de Jesus Cristo, o evangelista anuncia a palavra de Deus ao mundo apresentando o único caminho para a salvação eterna. Esse termo aparece apenas 3 vezes no Novo Testamento (Ef. 4:11; At. 21:8 e 2Tm 4:5). Refere-se ao dom da pregação e de fazer o evangelho especialmente claro aos descrentes, ou do testemunho pessoal eficiente.

4) Pastores

Não existe um significado real da palavra, mas pode-se dizer pela tradição linguística do povo hebreu que Pastor é “aquele que vê”. Ele enxerga além do que suas ovelhas enxergam e por isso, as conduz, protege e as alimenta. No conceito do Novo Testamento, o pastor não pode ser uma pessoa que conserva a totalidade do ministério nas suas próprias mãos ou que esmaga toda a iniciativa dos leigos, mas deve ser aquele que ajuda e encoraja o povo de Deus a descobrir e exercer seus dons. A figura do pastor deve ter como modelo o próprio Jesus Cristo, qualificado como “o bom pastor”.

5) Mestres

A palavra é derivada do latim “magister” e do hebraico “Rabino ou Rabbi”, significa “professor de grande saber”, “perito ou versado” em qualquer ciência ou arte. Na igreja, possui o dom do ensino de Romanos 12:7. O mestre nem sempre é um pastor, ele pode ensinar em um seminário, instituto bíblico, classe de escola bíblica, estudo nos lares, grupos familiares, etc. Há muitos pastores que não são mestres, apesar de terem também a tarefa de ensinar a igreja.

Quais são os propósitos dos dons?

Em 1ªCoríntios 12:7, Paulo afirma: “visando a um fim proveitoso”. Aqui ele subdivide esse proveito em duas partes.

1) “Com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço”. (Ef 4.12): Pastores e mestres são chamados para preparar o povo de Deus para o serviço cristão.

2) “Para a edificação do corpo de cristo” (Ef. 4:12): Dons não são para exibicionismo, partidarismo ou divisões na igreja. Às vezes, as pessoas comentam: “Fulano é uma benção – o único problema é o dom espiritual”. Ou então: “Aquela igreja é muito boa, o problema dela são os dons.”

 

Isso é uma contradição! Aprendemos que “dom” é algo que deve produzir bem-estar. Então, o problema não pode estar no dom, mas sim no mau uso dele.

E você, conhece alguém que tem algum dom e não o usa ou utiliza de forma errada?

 

Imagem fonte: Reprodução Google

Avalie este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *