Jesus Cristo pregou aos espíritos em prisão no inferno?

Compartilhe

Já não é de hoje que ouvimos pessoas interpretarem esse texto bíblico de 1ª Pedro 3:18 a 20 e tirarem conclusões precipitadas sobre o assunto. Isso causa um grande problema que é a doutrina do purgatório e do Sheol ou Inferno, onde supostamente pode existir uma “segunda chance” para aqueles que morreram em pecado. Mas em primeiro lugar, vamos ler o que o texto diz:

Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito; No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão; Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água.

chart

Agora, vamos entender o que Pedro quis dizer:

1º Quem pregou?

Jesus Cristo foi quem pregou por meio do Espírito. Esse termo “Espírito” usado no texto bíblico é um elemento da trindade e não o espírito “ruach” que se refere a uma pessoa. Jesus já se revelava de algumas formas no Antigo Testamento (isto chama-se Cristofania) como explicado no artigo: “Quem é o Anjo do Senhor?“.

Então, Jesus Cristo pregou naquele tempo de Noé através do Espírito Santo para que as pessoas se arrependessem, tentando convencê-las dos seus pecados e para que não fossem exterminadas. Aqui vemos mais uma vez o amor de Deus por nós, pois Ele que tentou de todas as formas evitar a morte e perdição daquelas pessoas. Esse papel de convencimento do pecado é do Espírito Santo.

2º Quem são esses espíritos em prisão?

São aquelas pessoas rebeldes do tempo antigo, ou seja, os antediluvianos (que viveram antes do dilúvio) no mesmo tempo que Noé. Ademais, a Bíblia retrata os seres humanos vivos como espíritos (ver Hebreus 12:22-24), almas, pó, filhos, homens, igreja, etc. Nesse texto de 1ª Pedro, o termo “espíritos em prisão” foi utilizado para se referir as pessoas em prisão, ou seja, aqueles que estavam presos por suas próprias iniquidades.

3º Que prisão é essa?

Essa é a prisão da iniquidade e do pecado, conforme está escrito em Provérbios 5:22 e em Atos 8:23. Ou seja, essas pessoas rebeldes (espíritos) estavam “presos” pelo pecado.

Conclusão

1º –  O apóstolo Pedro disse simplesmente que: Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo, pregou por vários anos (longanimidade de Deus) aos antediluvianos que estavam presos na cadeia do pecado para que eles não se perdessem.
Pedro só quis dizer isso, tanto que no contexto anterior ele está ensinando a outros cristãos a terem paciência e suportarem as adversidades da vida e terem esperança. Pedro não está ensinando uma outra doutrina.

2º – Pedro não está ensinando (de forma alguma) que existe outra chance após a morte, pois ele estaria contrariando a própria Palavra de Deus, conforme Eclesiastes 9:5-10. Isaías 55:6-7. 2ª Coríntios 6:1-2. Hebreus 3:13-14.

Portanto, não se enganem… NÃO EXISTE OUTRA CHANCE! O tempo é agora! Jesus não pregou no Inferno, Ele continua anunciando o evangelho hoje, para nós vivos.

 

Imagem fonte: Reprodução Google

Seja o Primeiro a Comentar!

Não comentarei, mas:
avatar
wpDiscuz
Translate / Traduzir