Jesus Cristo pregou aos espíritos em prisão no inferno?

Já não é de hoje que ouvimos pessoas lerem e interpretarem esse texto bíblico de 1ª Pedro 3:18 a 20 e tirarem conclusões precipitadas sobre o assunto. Isso causa um grande problema que é a doutrina do purgatório e do Sheol ou Inferno, onde supostamente pode existir uma “segunda chance” para aqueles que morreram em pecado. Mas em primeiro lugar, vamos ler o que o texto diz:

Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito; No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão; Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água

chart

Agora, vamos entender o que Pedro quis dizer:

1º Quem pregou?

Jesus Cristo foi quem pregou por meio do Espírito. Esse termo “Espírito” usado no texto bíblico é um elemento da trindade e não o espírito “ruach” no que se refere a uma pessoa. Jesus já se revelava de algumas formas no Antigo Testamento (isso chama-se Cristofania) como escrevi em outro artigo sobre quem é O Anjo do Senhor. Então, Jesus Cristo pregou naquele tempo de Noé através do Espírito Santo para que as pessoas se arrependessem, para tentar convencê-los dos seus pecados e não fossem exterminados. Aqui vemos mais uma vez o amor de Deus por nós, que tentou de todas as formas evitar a morte e perdição daquelas pessoas e como sabemos, convencer do pecado é um dos papeis do Espírito Santo.

2º Quem são esses espíritos em prisão?

São aquelas pessoas rebeldes do tempo antigo, ou seja, os anti-diluvianos, que viveram no mesmo tempo que Noé antes de Deus enviar o dilúvio. A Bíblia por vezes se refere aos seres humanos vivos como espíritos (ver Hebreus 12:22-24), almas, pó, filhos, homens, igreja, etc. Nesse texto o termo “espíritos em prisão” foi utilizado para se referir as são pessoas em prisão, ou seja, aqueles que estavam presos por suas próprias iniquidades.

3º Que prisão é essa?

Essa é a prisão da iniquidade e do pecado, conforme está escrito em Provérbios 5:22 e em Atos 8:23. Ou seja, essas pessoas rebeldes “espíritos” estavam “presos” pelo pecado. Simples assim.

1ª Conclusão

O apóstolo Pedro disse simplesmente que: Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo, pregou por vários anos (longanimidade de Deus) aos anti-diluvianos que estavam presos na cadeia do pecado para que eles não se perdessem. Simples e fácil assim.

Pedro só quis dizer isso, tanto que no contexto anterior ele está ensinando a outros cristãos a terem paciência e suportarem as adversidades da vida e terem esperança, Pedro não está ensinando outra doutrina a mais.

2ª Conclusão

Pedro não está ensinando de forma alguma que existe outra chance após a morte, pois ele estaria contrariando a própria Palavra de Deus.

Ver: Eclesiastes 9:5-10. Isaías 55:6-7. 2ª Coríntios 6:1-2. Hebreus 3:13-14.

Portanto, não se enganem… NÃO EXISTE OUTRA CHANCE! O tempo é agora! Jesus não pregou no Inferno, Ele continua anunciando o evangelho hoje, para nós vivos.

 

Imagem fonte: Reprodução Google

Jesus Cristo pregou aos espíritos em prisão no inferno?
4 votos até agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *