Deixados para trás? Será?

A série de livros Left Behind (Deixados Para Trás) de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins, é uma obra ficcional, de temática cristã, que narra os “últimos dias na Terra após o arrebatamento da igreja”, a série de livros foi inspirada na doutrina desenvolvida pelo ministro anglicano John Nelson Darby no século 18, sobre sua interpretação dos “eventos finais da humanidade” descritos no livro de Apocalipse. A série de livros vendeu mais de 70 milhões de exemplares e foi publicada em mais de 34 idiomas. Sucesso de vendas, a série é também alvo de pesadas críticas, tanto da parte de cristãos quanto de céticos. chartTrês filmes já foram produzidos sobre a série: Deixados para trás – o filme (2000), Deixados para Trás II – Comando Tribulação (2002) e Deixados para Trás III – Mundo em Guerra (2005). A história reúne ficção cristã, ação e suspense com lances de alta tecnologia, sendo como tema principal, o fim dos tempos. Em outubro de 2014 foi a estreia do remake com atores bem conhecidos como Ashley Tisdale, Nicolas Cage e Chad Michael Murray. O trailer do filme pode ser visto a seguir:

 

Tendo já explicado do que se trata o filme, vamos à grande questão: Será que o Arrebatamento vai ser secreto como o filme e a doutrina citada acima propõe?

Não! E de cara já respondemos! Mas, vamos dar crédito a uma explicação do renomado filósofo e teólogo William Lane Craig, sobre o assunto:

Esta doutrina não é realmente encontrada no livro do Apocalipse. Se você ler o livro do Apocalipse, você não vai encontrar nenhuma menção ao arrebatamento lá, em vez disso, a ideia do arrebatamento vem de uma má interpretação de 1 e 2 Tessalonicenses, onde Paulo está descrevendo a vinda do Senhor e da ressurreição dos mortos, que ocorrerá em Sua vinda.
Se você comparar o que Paulo disse com o que Jesus disse sobre o fim dos tempos, verá que Paulo usa o mesmo vocabulário, a mesma fraseologia. Acho que é muito plausível que Paulo está falando sobre o mesmo evento que Jesus previu, ou seja, a visível vinda do Filho do homem, no final da história humana, para inaugurar o Seu reino. Mas os proponentes do arrebatamento secreto dizem que Paulo não está de jeito nenhum falando sobre a segunda vinda de Cristo ali. Segundo eles, Paulo estaria realmente falando desse retorno secreto, preliminar, invisível de Cristo para arrebatar os crentes do mundo antes que ocorra a grande tribulação. Acho que não há nenhum mandado textual para isso.

Ainda e acordo com Craig, o arrebatamento tornou-se uma teoria popular sobre o fim dos tempos, devido à influência da famosa Bíblia de Referência Scofield, que foi publicada no início do século 20 e propagava a visão de John Darby, de meados de 1827, sobre o arrebatamento secreto. Mais tarde, instituições cristãs, entre elas o Dallas Theological Seminary, e outras igrejas começaram a ensinar a validade do arrebatamento secreto.

Basta lembrar o que Jesus disse no Sermão da Montanha sobre o assunto:

Porque naqueles dias haverá tal tribulação como nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais será. E se o Senhor não tivesse abreviado os dias, nenhum ser humano seria salvo; mas por causa dos eleitos, a quem ele escolheu, abreviou aqueles dias. Marcos 13: 19-20

Não há nenhuma sugestão aqui em que os eleitos vão ser arrancados do mundo e poupados desta Grande Tribulação que Jesus prediz. Então, continuando nos versículos 24-27, Ele diz:

Mas naqueles dias, depois daquela tribulação, o Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. E então verão o Filho do homem vindo nas nuvens com grande poder e glória. E então ele irá enviar os anjos, e reunirá os seus escolhidos desde os quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu.

Note-se que esta reunião dos eleitos que irão ocorrer quando o Filho do Homem retornar é um evento visível. Este não é um retorno secreto de Cristo e invisível para os olhos. Eles verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com poder e grande glória e, em seguida, ele vai reunir os eleitos. Isto ocorre após a tribulação e é claramente um evento visível que as pessoas vão ver e experimentar. Então, não há nada no Sermão do Monte, que poderia sugerir a ideia de um arrebatamento secreto da igreja antes do retorno do Filho do Homem para reunir os eleitos e estabelecer o seu reino.

Um bom número de cristãos que creem na Bíblia, absorveram esse ponto de vista como se fosse “leite materno” e nunca pensaram em questionar suas credenciais, disse Craig.

Craig também ponderou que é perfeitamente possível que os cristãos assistam ao próximo filme “Deixados para Trás” ou leiam a série, desde que não se leve a sério suas alegações:

Pode ser, talvez, boa ficção. Seria como a leitura de ficção científica ou romances de fantasia, como O Senhor dos Anéis. Contanto que você não seja enganado em pensar que isso representa escatologia bíblica.

Craig, que dirige o Reasonable Faith, uma organização apologética que fornece aos cristãos recursos para falar sobre sua fé de maneira inteligente, articulada, não transigente, mas respeitosa conclamou outros estudiosos da Bíblia, pastores e líderes da igreja que também refutam o arrebatamento secreto a falarem sobre a posição deles.

É surpreendente – caso eu esteja correto nisto – que o evangelismo americano [e de outras nações] esteja tão amplamente enganado ao ponto de se afastar da correta posição cristã histórica sobre a segunda vinda de Cristo. Isso é realmente bastante preocupante, porque se estivermos errados sobre isso, que outras coisas podemos ter interpretado mal?. Disse ele. [grifo nosso]

A pergunta que fica é a seguinte:

Quantas igrejas cristãs ainda se apegam a este erro doutrinário e ainda acreditam e ensinam o “Arrebatamento Secreto“? E mais, quantas no mundo ainda ensinam aos seus membros que existe “outra chance” (pois é essa temática final do filme) após a segunda vinda de Cristo?

O tempo é agora, não há outra chance, quem ficar ficou. “Deixados para trás” é uma expressão ruim e não é verdadeira, já que é desejo de Deus que todos se salvem, mas só ficarão os iníquos e aqueles que rejeitaram a Cristo por vontade própria, então não é Jesus que vai deixá-los, mas eles é que não vão querer ir com Ele. Devemos sempre nos lembrar o que a Epístola aos Hebreus diz:

Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo.
Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;
Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim.
Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação.
Porque, havendo-a alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés.
Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto?
E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes?
E vemos que não puderam entrar por causa da sua incredulidade. Hebreus 3:12-19

 

Referências:

Reasonable – Doctrine of the Last Things (Part 2)

The Christian Post – No, Christians Should Not Believe in ‘Left Behind’s’ Rapture Theology, Says Prominent Christian Philosopher

Imagem fonte: Reprodução

Avalie este artigo

Um comentário em “Deixados para trás? Será?

  • 25 de novembro de 2016 em 4:57 PM
    Permalink

    Essa é só uma das falácias apóstatas praticadas pelo movimento evangélico.
    Não estou aqui eu a acusar os fiéis seguidores, pois infelizmente muitos nada sabem. São facilmente instigados por seus líderes, assim como no pleito entre o Messias e Barrabás.
    Parabéns pelo post!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *