O arquiteto da vida: Moscas voam com “Piloto Automático Natural”

Para evitar “acidentes”, estes insetos utilizam naturalmente um verdadeiro “piloto automático”, que elabora suas informações visuais para enviar impulsos elétricos para as asas e endireitar seu rumo, descobriram pesquisadores franceses.chartNicolas Franceschini, Franck Ruffier e Julien Serres, especialistas de biorobótica do laboratório Movimento e Percepção, da Universidade do Mediterrâneo, em Marselha, comprovaram um automatismo chamado de “regulador de fluxo óptico”, objeto de estudo publicado no site da revista Current Biology.

Para decifrar o comportamento das moscas, os três cientistas reproduziram a navegação de um inseto mediante um micro-helicóptero controlado à distância, com 100 gramas de peso, batizado de Octavia, dotado de um sensor óptico que simula o olho da mosca. O helicóptero mede a velocidade de deslocamento sobre o solo e é capaz de reagir a seu entorno.

Segundo os cientistas, quando um inseto, uma ave ou até um piloto voam, as imagens se projetam da frente para trás, na parte central do campo visual, criando um “fluxo óptico”.

O que os cientistas de Marselha chamam de “regulador de fluxo óptico” é um automatismo que permite manter esse fluxo em um valor constante. Se o inseto mudar de velocidade, também mudará sua altura de voo para, assim, manter constante a relação entre as duas magnitudes.

Quando o inseto enfrenta um forte vento contrário, voa em menor velocidade e seu regulador exige a redução da altura, para manter, desta forma, o valor de referência. A investigação explica, assim, porque os insetos descem quando enfrentam vento contrário e sobem quando há vento a favor. Os neurônios detectores de movimento, ocultos na “cabine de comando” do inseto, constituem a base de seu comportamento, afirmou a equipe de cientistas.

O que você acha?

Será que o “piloto automático natural” das moscas é resultado de um processo acidental, fruto do acaso e do tempo? Ou é um projeto de criação inteligente elaborado pelo Arquiteto da vida?

 

Fonte: G1

Imagem fonte: Reprodução Google

Avalie este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *