Polêmica: Livro afirma que Jesus foi casado e pai de dois filhos – será?

O lançamento do livro “The Lost Gospel” (O Evangelho Perdido), de Barrie Wilson e  Simcha Jacobovici, baseado em um antigo manuscrito, tem causado grande polêmica. O manuscrito supostamente revela que Jesus Cristo foi casado e pai de dois filhos com Maria Madalena, bem como aponta que a “Virgem Maria” original seria Maria Madalena e não Maria, mãe de Jesus.

chart

O que o Vaticano temia – e que Dan Brown só suspeita – se tornou realidade, assim começa o livro.

Há evidências agora de que Jesus foi casado com Maria Madalena e que eles tiveram filhos juntos, afirmam os escritores no livro.

O porquê da polêmica

Toda a polêmica sobre a hipotética vida matrimonial de Cristo surgiu depois que a dupla formada pelo professor de estudos religiosos Barrie Wilson e pelo escritor Simcha Jacobovici passaram vários meses traduzindo o texto – em siríaco (dialeto aramaico) – para o novo livro.

O livro, que foi originalmente escrito em grego e traduzido para siríaco – ainda faz outras revelações “interessantes”, como uma conexão política que Jesus tinha com o imperador romano Tibério e Sejanus, um de seus generais mais poderosos. Segundo o livro, Cristo também teria sobrevivido a uma tentativa de assassinato 13 anos antes de sua crucificação.

As evidências apresentadas pelo livro são coerentes e verdadeiras?

Em seu site, Wilson descreveu que descobriu o antigo manuscrito siríaco esquecido num canto empoeirado no Museu Britânico. Porém, é sabido que os estudiosos têm estudado esse manuscrito por quase 200 anos, mas ainda não sabem exatamente do que se trata. Ele também já foi traduzido inúmeras vezes, de acordo com o Discovery News.

O documento foi escrito sobre pergaminho em grego e traduzido para o siríaco, um dialeto do aramaico, e ganhou o título em inglês “The Ecclesiastical History of Zacharias Rhetor” — ou “A História Eclesiástica de Zacarias Retórico”.

O material conta com 29 capítulos e foi vendido por um mosteiro egípcio ao Museu Britânico em 1847, e há 20 anos foi transferido para a Biblioteca Britânica.

O problema é que o texto está longe de ser um manuscrito esquecido coberto de poeira, e nem sequer menciona Jesus e Maria Madalena. É um texto antigo conhecido, muitas vezes chamado de José e Aseneth (filha de um importante sacerdote egípcio). A maioria dos estudiosos consideram que é uma história judaica, embora tenha sido, possivelmente, editada ou mesmo composta por cristãos. Explicou Greg Carey, professor de Novo Testamento do Seminário Teológico Lancaster.

Ele observou que várias traduções têm sido disponibilizadas para os estudiosos.

Um dos meus amigos ainda se lembra de ter traduzido o texto em um curso de grego intermediário para estudantes de graduação. Em outras palavras, eu não sei se o manuscrito real em questão é novo, mas o conteúdo do texto é amplamente conhecido, disse Carey.

Contudo, o que parece ser o caso agora é que Wilson e Jacobovic deram uma nova interpretação ao conto de José e Aseneth, considerando que se trata de um relato em código referindo-se à vida conjugal de Jesus e Maria Madalena. Os autores se apoiaram em uma passagem recém-traduzida que descreve a cerimônia de casamento do casal, que teria sido celebrada pelo próprio faraó de então.

Nesse trecho, o texto relata que o monarca egípcio teria dito a Aseneth que ela era abençoada por se casar com José, o primeiro filho de Deus, e que ela seria chamada a partir de então de Filha do Deus Altíssimo. O fragmento ainda revelaria que o casal teve relações sexuais e que Aseneth deu a luz a dois meninos, Manasseh e Efraim. Afirma Rossella do Discovery News

Controvérsias

Vários estudiosos defendem que a passagem simplesmente conta a história do casal e não guarda nenhuma mensagem cifrada.

Esta não é a primeira vez que a tradução de manuscritos antigos aponta para a possibilidade de que Jesus tenha sido casado com Maria Madalena — sem falar nos famosos livros “A Última Tentação”, de Níkos Kazantzákis, e “O Código da Vinci”, de Dan Brown, baseados na mesma ideia.

Aliás, esta também não é a primeira vez que Jacobovic se vê envolto em controvérsias. O escritor já criou bastante polêmica no passado quando disse ter descoberto a localização do túmulo de Jesus e sua família em um subúrbio de Jerusalém, e de ter encontrado os pregos que foram usados na crucificação.

Robert Eisenman, um dos historiadores consultados pelo Discovery News, disse que até o momento não existem evidências conclusivas de que Cristo tenha sido casado ou que tenha tido filhos. Além disso, os evangelhos sugerem que ele era celibatário. Por último, o historiador apontou que a única razão de diversos escritores apontarem Maria Madalena como sendo a esposa de Cristo se deve ao fato de ela ser uma das poucas mulheres a terem um papel significativo nos evangelhos, e de ninguém saber ao certo quem ela foi.

E o evangelho da Esposa de Jesus?

karen-king-ancient-papyrus-20120918-03-original5Uma das descobertas mais recentes em setembro de 2012, foi a de um fragmento de papiro egípcio que alguns estudiosos acreditam ser a primeira referência explícita a Jesus ser casado.

Testes científicos verificaram que o chamado “Evangelho da Esposa de Jesus” não é uma falsificação moderna e as datas prováveis são do século IV. Ou seja, ele é antigo mesmo, mas não significa que ele esteja falando de um fato verídico, assim como outros textos dos evangelhos apócrifos que se contradizem nas afirmações  a respeito da vida de Jesus Cristo.

A peça, trazida a público por Karen King, historiadora eclesiástica da Universidade Harvard, em um encontro de especialistas em copta em Roma (2012), teria sido escrita no século IV, mas “provavelmente” é uma cópia de um texto anterior feito por volta de 150 d.C.

É um fragmento incompleto com roteiro copta. A quarta linha do texto contém as palavras “Jesus disse a eles, Minha esposa“, seguido na linha seguinte por “ela é capaz de ser meu discípulo.

Porém, a própria historiadora declara:

Essas palavras podem não significar nada diferente, disse Karen ao jornal The New York Times.


Atualização: Historiadora Karen King, que anunciou ‘Evangelho da Esposa de Jesus’ confessa que papiro é falso


A pergunta que fica é:

O que faz com que esses escritores lancem livros baseados em fatos não verdadeiros e manipulados?

Infelizmente muitas pessoas vão ler e vão acreditar nas histórias contadas nestes livros, pois são levadas pela polêmica e repercussão que esses tipos de livros causam. Uma pesquisa rápida já seria suficiente para entender que trata-se apenas de mentiras inventadas para vender livros e aparecer na mídia.

Como informado acima neste artigo, não existe nada, absolutamente nada de verdadeiro sobre uma possível vida conjugal de Jesus.


Referências:

Discovery News – Experts Debunk Claim Jesus Was a Husband and Father

CTV News – ‘Lost Gospel’ books claims Jesus was married, had 2 children

Ibitimes – Jesus Was Married to Mary Magdalene and Fathered Two Children, Says British Library Manuscript

Veja Ciência – Papiro do século 4 faz referência a ‘esposa de Jesus’

Imagem fonte: Reprodução Google

Polêmica: Livro afirma que Jesus foi casado e pai de dois filhos – será?
1 votos até agora

4 comentários em “Polêmica: Livro afirma que Jesus foi casado e pai de dois filhos – será?

  • 15 de setembro de 2016 em 7:44 PM
    Permalink

    eu admiro muito a istoria de deu .

    Resposta
    • 14 de novembro de 2016 em 10:50 PM
      Permalink

      Jesus, foi materializado no corpo humano masculino. PortanTo, Jesus possuía pênis e necessidades fisiológicas. Nada se sabe da vida de Jesus entre os 15 e 30 anos. Os seus discípulos eram homens, e mesmo assim nunca foi taxado de homossexual, contudo durante as suas pregações as Mulheres sempre estavam presentes, principalmente Maria de Madalena.
      Amor, Paixão, Libido, Sexo fazem parte da vida material do ser humano. Qual Mulher gostaria de ter sido esposa de JESUS? TODAS.

      Romero César. hoje 14/11/2016

      Resposta
      • 6 de dezembro de 2016 em 10:21 AM
        Permalink

        Ele (Jesus) veio com um propósito maior. Portanto ele sabia que não podia se dar ao luxo de ter uma família terrena.
        Sobre as relações homoafetivas (diferente de homosexuais, que são coisas distintas), são comuns até hoje naquela região, os países islâmicos têm costumes fraternos em que os homens andam de mãos dadas, e nem por isso são homosexuais.
        No leste europeu é muito comum homens se beijarem no rosto em sinal de respeito. Se alguém viu o filme Borat percebeu que ele (ator) faz uma certa paródia com esses costumes. Como o Borat mesmo dizia: “Normal como no Cazaquistão”.

        Resposta
  • 18 de novembro de 2016 em 8:28 AM
    Permalink

    Se isso é verdade ou não, não altera em nada a minha fé!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *