Famoso jornalista do The New York Times relata sua conversão de agnóstico para um cristão “defensor de Deus”

Escritor de best-sellers e jornalista do The New York Times, Eric Metaxas relatou através de um vídeo recente, como que ele mudou sua vida ao deixar de ser agnóstico para se transformar em um defensor de Deus.

Em seu testemunho, Metaxas conta que ele conseguiu traçar suas próprias conclusões sobre o significado da vida e da religião depois de frequentar a Universidade de Yale, onde se graduou.

chart

Na faculdade, o escritor aponta que se sentia sem rumo e que criou uma representação figurada para explicar o sentido da vida.

Eu estava como se estivesse perdido no mar, eu não tinha ideia do que eu acreditava, ou quem eu era, disse ele.

E ao se aprofundar em sua metáfora, Metaxas indica que a busca para o significado do universo se relacionava com a seguinte ideia:

Há um lago congelado, e enquanto o gelo no lago representa a mente consciente, a água sob o gelo representa a mente inconsciente com um inconsciente coletivo, resume.

Em outras palavras, ele pensava que o objetivo da vida e de tudo nas religiões era a mesma coisa, e que ele estava prestes a perfurar o gelo (a mente consciente) para alcançar o consciente coletivo por meio de sua ideia literária.

Apesar de ter crescido em uma igreja grega em Nova York, Metaxas não se adaptava à vida da Igreja, por acreditar que sua congregação “não era uma comunidade de fé”, explica. Segundo ele, sua ida para a faculdade serviu para questionar suas crenças. No entanto, sua vida mudou durante uma noite, quando teve um sonho que o fez perder o que ele pensava que fosse a ideia correta do propósito da vida.

No sonho, eu estou no Lago Candlewood em Danbury, Connecticut (leste dos EUA), pescando no gelo no meio do inverno. Havia um peixe furando o gelo, tentando colocar seu focinho para fora. Se vocês pescam no gelo, sabem que isso nunca acontece. Eu estendi a mão para segurar o peixe. A luz do sol era tão brilhante que eu enxerguei apenas um lado do peixe, onde não aparecia o bronze, e sim o ouro, e de repente eu percebo, que eu estou segurando a vida, um peixe dourado, disse ele.

Metaxas diz que quando acordou, percebeu que Deus estava falando com ele através de um “vocabulário secreto” em seu coração. Ele descobriu então que seu sonho e os pensamentos que formaram suas crenças são similares em alguns aspectos. E acrescentou que, como ele estava segurando o peixe em seu sonho, ele também concluiu:

Deus operou em mim por meio de um simples pensamento meu.

Em sua reflexão, Metaxas ainda indica que Deus tentou interceder para se entregar a algo maior que acabasse com a necessidade de entrar em conflito com as dúvidas de seu inconsciente:

Deus me disse ‘Eric, você queria tocar na água inerte, este inconsciente coletivo, mas eu tenho algo a mais para você, eu tenho meu filho, Jesus Cristo, o filho de Deus, seu Salvador’, complementa.

Na sequência, ele relata que foi trabalhar no dia seguinte e disse a seu colega de trabalho sobre o sonho, que lhe respondeu que significava que havia aceitado Jesus, dado sua experiência como um indivíduo que duvidava da fé. Metaxas admite que nunca pensou que ele iria dizer estas palavras que em um ponto, o fez estremecer até ouvir alguém pronúncia-las.

Eu tinha sido treinado em Yale para evitar as pessoas assim, que seriam pessoas estranhas, disse Metaxas referindo-se aos cristãos que professavam a crença em Deus.

No entanto, logo depois ele se definiu como um cristão que hoje rejeita a ideia de uma fé cega.

Não há tal coisa como fé cega, isto é algo que possui uma interpretação errada, pois a fé só pode ser fé dentro daquilo que é real, prossegue Metaxas.

Não há dúvida, em retrospecto, que Deus é real e eu gostaria de ter descoberto isto mais cedo, conclui. [ênfase acrescentada]

 

Este é o site oficial de Eric Metaxas: www.ericmetaxas.com

Fonte: The Christian Post

Avalie este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *