País mais ateu do mundo teve aumento de 1.000% no uso de antidepressivos

Se você morasse em um país que:
  • possui uma economia altamente desenvolvida e diversificada e quase não existe desemprego;
  • onde a democracia é real;
  • é considerado como um dos mais socialmente justos e que tem um nível baixíssimo de desigualdade  de renda;
  • onde praticamente não se houve falar em corrupção;
  • tem o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) maior que a maioria dos países mais desenvolvidos do planeta;
  • é líder tecnológico de seu continente e em número de trabalhos e publicações científicas;
  • o transporte é um dos mais modernos e seguros do mundo;
  • é altamente sustentável e se dedica às tecnologias ambientalmente corretas;
  • onde o governo se preocupa com a educação, colocando como prioridade no orçamento;
  • existe igualdade de gêneros e praticamente não existe preconceitos;
  • há liberdade de crença e não crença;
  • cultura e diversão estão acessíveis para toda população;
  • não há conflitos ou guerras;
  • o Meio Ambiente é respeitado;
  • Etc… [1]

chart

Você não teria motivos pra se sentir depressivo num lugar como este, certo?

Estamos falando da Suécia, na Europa, onde outro fator interessante também chama a atenção: é que esse país concentra a maior parcela de pessoas não religiosas, sendo que cerca de 85% da população são de ateus e agnósticos, embora o estudo religioso seja obrigatório nas escolas do país. Ou seja, a Suécia é considerada o país mais ateu do mundo. [2]

Nota: vamos utilizar a Suécia como referência devido a alta taxa de desenvolvimento humano, aliada a alta taxa de ateísmo, daí vamos cruzar um dado que ainda não foi estudado.

Lógica

Provavelmente pensaríamos que nos países com miséria, corrupção, doenças, desastres e guerras é que um mal, chamado depressão, acometeria boa parte da população, o que também poderia levar ao suicídio, mas o que veremos aqui é totalmente o contrário.

Fato peculiar

De acordo com dados recolhidos de 29 países europeus durante 3 décadas pela Escola de Ciências Econômicas de Londres, constatou-se que o uso de antidepressivos aumentou em média 500%. A Eslováquia e Noruega também tem tido grande crescimento no uso, sendo que a Suécia aumentou em 1.000% a taxa de consumo desses medicamentos, entre 1.980 e 2.009.

Assim, os pesquisadores, liderados por David McDaid, encontraram uma relação entre o consumo dos antidepressivos e a queda no número de suicídios. Enquanto as taxas de suicídio caíram cerca de 14% em toda a Europa, o suicídio continua a ser um grande problema de saúde pública nos países da União Européia, sendo responsável por 60 mil mortes por ano. Curiosamente, a pesquisa não encontrou nenhuma relação entre as taxas de suicídio e consumo de álcool, divórcio ou taxas de desemprego.

Os países com menores taxas do uso destes medicamentos foram Holanda, Suíça, Bulgária, França e Luxemburgo. Enquanto Grécia, Itália e Espanha possuem as menores taxas de suicídio da União Européia. [3]

Será que o ditado “dinheiro não traz felicidade” está correto neste caso?

Geralmente o que se vê na internet e em outros meios é que o grande “trunfo” utilizado por muitos ateus (lê-se corretamente “neo-ateus”) e secularistas é o fato de que nos países mais ricos e desenvolvidos, como é o caso da Suécia, o número de ateus é expressivo. Porém, parece que falta algo a mais que não pode ser conseguido com progresso tecnológico, cultural, econômico, ambiental, etc.

Porque as pessoas estão cada vez mais depressivas neste país?

Porque será que ainda existe uma taxa altíssima de suicídio em uma cultura tão avançada socialmente e democraticamente? O que falta?

Nós cristãos acreditamos que temos uma resposta, mas será que a Suécia, com seus 85% de ateus conseguirá encontrá-la e quem sabe, resolver o grande problema que este importante país e seus vizinhos de continente estão atravessando?

Não estamos sendo irreverentes quanto à problemática citada aqui, nem mesmo conclusivos pois nem mesmo o estudo realizado é, mas quem sabe se as pessoas abrissem mais seus corações para Jesus a história poderia ser diferente. Falta fazer o teste!

Nota 2: Como complemento deste artigo, para dar um entendimento melhor no que propomos, veja este artigo também: Anatomia cerebral de pessoas religiosas reduz o risco de desenvolver a depressão – Sugere estudo científico

Há também um outro artigo interessante que fala sobre este tema: Depressão: problema para a neurociência não materialista? Entrevista com Médico Psiquiatra Marcos Romano

Referências:

[1] Wikpédia
[2] Atheism: Contemporary Rates and Patterns, pg. 15, Phil Zuckerman, 2007
[3] Daily Mail,
Imagem fonte: Reprodução Google

País mais ateu do mundo teve aumento de 1.000% no uso de antidepressivos
1 votos até agora

10 comentários em “País mais ateu do mundo teve aumento de 1.000% no uso de antidepressivos

  • 17 de julho de 2016 em 11:30 PM
    Permalink

    Aqui no Brasil não usamos, pois sabemos que não há antidepressivo que resolva.
    Países com invernos rigorosos tem mais depressivos.
    Basta ver a lista de países mais ateus e dos mais religiosos, e comparar com números sobre violência e outros dados econômicos para ver que religião não faz um país melhor.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      18 de julho de 2016 em 1:14 AM
      Permalink

      Paulo, tudo bem?
      No Brasil não usamos com tanta frequência, mas não quer dizer que não usamos. E se usássemos muito quanto esse país, seria pela inúmeras complicações que passamos no dia-a-dia. Mas não acontece assim. Como dissemos, um país como a Suécia seria o “paraíso na Terra”, sendo assim, não haveria necessidade de o povo lá usar tantos remédios antidepressivos assim, o que nos leva a uma questão de que algo está ocorrendo além disso.
      E não, não é por causa de invernos rigorosos que as pessoas se suicidam. É claro que isso tem influência sobre o organismo humano (depressão sazonal), pois somos animais de sangue quente. Mas nada até hoje foi comprovado sobre essa relação “inverno x depressão ou suicídio”, pois existem pessoas com quadros depressivos que ficam mais depressivas em dias quentes. Ou seja, não há um consenso sobre isso.
      Ademais, a Suécia é de clima temperado, suas maiores cidades estão no sul do país, onde é mais quente o ano todo. Aliás, se fosse assim, a Rússia seria o país onde haveriam mais suicídios.

      Essa questão de países mais ateus serem menos violentos, com economia melhor, etc… é algo relativo, pois os EUA que é a maior potência do mundo é de maioria cristã, além de Alemanha, França, Inglaterra, etc… que são muitos religiosos, sendo os EUA ainda mais religioso que o Brasil, por exemplo. Por outro lado, a Coreia do Norte, Vietinã, etc são países pobres que também são ateus.

      A questão em si não está fechada, veja que deixamos isso bem claro, porém deixamos uma pergunta no ar. De forma alguma estamos sendo irreverentes quanto a questão, mas que há algo estranho entre este aumento de antidepressivos em um país que é extremamente desenvolvido, isso há, mas um ponto em evidência também é a alta taxa de ateus. Estariam essas coisas ligadas? A falta de espiritualidade pode ser um fator não levado em conta?
      São essas as perguntas que fizemos, de outra forma é claro.

      Abraço.

      Resposta
  • 31 de agosto de 2016 em 11:09 PM
    Permalink

    1) já esta provado que os estados dos eua com menos cristaos sao os q mostram menos violencia.

    2) a coreia do norte é país ateu so para quem nao sabe pesquisar.
    É uma teocracia fechada com religiao propria inspirada no velho testamento onde o vô do kin ainda governa (mesmo estando morto).

    3) por qual motivo o vietnã está violento é pelas inumeras guerras e mesmo assim, é menos violento q o Brasil cristao.

    4) Pode ate ser q eles usam mais anti depressivos (por confiarem mais na ciencia), mas, a pesquisa entre religiaoXdepressao ja foi feita e deu o numero exatamente o inverso.
    Pessoas religiosas tendem mais a depressao.

    Resposta
    • 25 de novembro de 2016 em 10:45 AM
      Permalink

      1) Me cite a fonte;
      2)Vai andar com uma bíblia na Coréia do Norte pra ver o que acontece;
      3)Alemanha e Japão passaram por eventos piores e não têm altos índices de violência;
      4)A Suécia não é um país ateu (deixei um link abaixo), e se possível me passe as suas fontes.
      Deus te abençoe.

      Resposta
  • 10 de outubro de 2016 em 2:09 PM
    Permalink

    Como sempre, religiosos usam pesquisas de forma enganosa.
    Vooce deve saber disso.
    A religiosidade no Brasil eesta aumentanto e nem por isso estamos diminuindo a violencia. Somos o pais onde se comete o maior numero de homicidios no mundo.
    E apesar de termos 87% da população ser cristã, somos o 8° pais com o maior numero de suicidios nomundo.
    Seja honesto ao fazer seus comentarios.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      10 de outubro de 2016 em 3:06 PM
      Permalink

      Não usamos as pesquisas de forma enganosa querido, veja por si mesmo o que diz, conforme a fonte de referência que dispomos ao final. E com relação ao aumento de violência, não está atrelado à religiosidade, mas com relação a diversos fatores como impunidade, corrupção, má gestão de recursos, falta de assistência social, etc… o que também não tem nada a ver com o que está descrito no artigo, foi por isso que o artigo começa explicando que na Suécia há altos níveis de qualidade de vida, o que por si só já deveria ser um motivo de felicidade, mas pelo jeito não é, ou seja, parece que ainda falta algo.
      De qualquer forma, não fomos conclusivos em momento algum, isso deixamos claro ao final. Creio que o senhor não deva ter lido todo o artigo.

      Abraço.

      Resposta
  • 3 de novembro de 2016 em 4:59 PM
    Permalink

    Basta pesquisar o ranking dos países mais felizes do mundo e comparar com o dos países mais ateus.
    Percebeu que só houve comentários de ateus?! Sabe por quê?! Porque ateus, pesquisam, e questionam quando discordam de algo; já religiosos (a maioria esmagadora) preferem viver do que falam a eles, na alienação.

    Resposta
    • 3 de novembro de 2016 em 7:01 PM
      Permalink

      Esse é o problema, geralmente quando os ateus vem aqui comentar, nem mesmo se dão ao trabalho de ler o artigo, daí falam essas coisas como você. Se você e os demais ateus tivessem lido, saberiam que não é essa a questão que abordamos aqui. Ao que parece, a grande maioria só comenta porque seu ego é atingido, principalmente pelo título do artigo.
      Aliás, não está totalmente correto dizer que os países mais felizes do mundo são ateus, porque felicidade é algo relativo, existem pessoas que vivem felizes sendo pobres, sendo religiosas, sendo céticas, etc… Também, se você pesquisar, verá que o mundo é formado por poucos países desenvolvidos, muitos destes, por conta da sua própria localização, cultura e população não expressiva, acabam tendo mais chances de continuarem se desenvolvendo. O restante dos países mais pobres (maioria), geralmente possuem população expressiva e recursos naturais escassos ou pouco desenvolvimento industrial e econômico, isso não tem muita relação com as religiões.

      O engraçado é que muitos ateus falam aos ventos dos países “ateus” desenvolvidos, mas não lembram dos países “ateus” não desenvolvidos, como por exemplo, o Vietnã, que é o 2º país mais ateu do mundo e é considerado pobre.

      Geralmente o que se vê na internet e em outros meios é que o grande “trunfo” utilizado por muitos ateus (lê-se corretamente “neo-ateus”) e secularistas é o fato de que nos países mais ricos e desenvolvidos, como é o caso da Suécia, o número de ateus é expressivo. Porém, parece que falta algo a mais que não pode ser conseguido com progresso tecnológico, cultural, econômico, ambiental, etc.

      Resposta
    • 25 de novembro de 2016 em 11:46 AM
      Permalink

      O país com maior IDH é a Islândia. E nem país laico é, pois lá a igreja protestante atua diretamente na legislação.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *