Deus criou o mal?

Uma das principais razões pelas quais os ateus/céticos rejeitam a existência de Deus é a presença do mal no mundo. Eles argumentam que se existisse um Deus perfeito, Ele não criaria um mundo em que o mal existe. Eles também afirmam que se Deus criou tudo então, Deus também criou o mal.chartAlguns críticos da religião afirmam que a Bíblia mostra dois tipos de Deuses, o primeiro seria o do Antigo Testamento (Yahweh, ou Yehovah) que na concepção deles seria um Deus violento, maldoso e desprovido de perdão. O Segundo é o do Novo Testamento (Yeshua) que segundo eles foi exatamente o oposto, sendo pacífico, amável e extremamente provido de perdão. Aliás, eles citam os próprios versículos da Bíblia, para “provar” que Deus seria mal, pois Ele mesmo teria criado o mal, veja:

Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas. (Isaías 45:7) versão Almeida C.R.F

Tocar-se-á a trombeta na cidade, e o povo não estremecerá? Sucederá algum mal na cidade, sem que o Senhor o tenha feito? (Amós 3:6) versão Almeida C.R.F

 Porventura da boca do Altíssimo não sai tanto o mal como o bem? (Lamentações 3:38) versão Almeida C.R.F

Será mesmo? De acordo com esses textos, Deus seria mal?

Antes de tudo, devemos lembrar que a tradução bíblica para português traz alguns “incômodos” quando tratamos de assuntos mais complicados e de difícil entendimento. Por isso, é extremamente importante que, para esses assuntos, busquemos o entendimento dos textos originais, ou pelo menos as versões traduzidas mais próximas ao texto original. Assim, na maioria das vezes conseguimos resolver o “problema“.

Devemos lembrar que os hebreus e até mesmo os primeiros cristãos, entendiam ou expressavam-se de forma um pouco diferente da nossa sobre certos aspectos da vida e de Deus. Iremos entender isso mais adiante.

O que as traduções mais recentes informam sobre os mesmos versículos acima:

Eu formo a luz e crio as trevas, promovo a paz e causo a desgraça; eu, o Senhor, faço todas essas coisas. (Isaías 45:7) Nova Versão l Internacional

Quando a trombeta toca na cidade, o povo não treme? Ocorre alguma desgraça na cidade, sem que o SENHOR a tenha mandado? (Amós 3:6) Nova Versão Internacional

Não é da boca do Altíssimo que vêm tanto as desgraças como as bênçãos? (Lamentações 3:38) Nova Versão Internacional

Por que foram trocados os termos “mal” nas traduções antigas pelo termo “desgraça(s)” nas traduções modernas?

Foram trocados devido as revisões críticas textuais, que buscaram usar o que realmente as palavras queriam expressar no tempo e no contexto social/cultural/linguístico em que foram escritas.

Diferença entre Mal moral e Mal natural

Existem pelo menos dois tipos de males, o mal moral e o mal natural.

Pelo que entendemos sobre Deus, o mal moral seria algo totalmente contrário a sua própria “natureza” perfeita, pois o mal é algo imperfeito. Deus jamais poderia “criar” o pecado sem com isso comprometer Seu caráter justo e santo. Por exemplo: Deus não prejudicaria alguém somente para obter algo que O beneficiasse. O ser humano sim faz isso constantemente, ou não?

Pois tu não és Deus que se agrade com a iniquidade, e contigo não subsiste o mal. Salmo 5:4.

Mas Deus pode permitir que calamidades exteriores sobrevenham a uma pessoa ou nação para discipliná-las com propósitos redentivos (ver Ap 3:19) ou mesmo punitivos (ver Ap 21:8), este então seria o mal natural.

Sobre Isaías 45:7 – A palavra “mal” (no hebraico é ‘ra ) aparece no verso 7 em contraste com o termo “paz” (hebraico shalom), e refere-se, aqui, não à natureza moral interior de uma pessoa, e sim a calamidades exteriores. Por exemplo: se lermos o contexto posterior de Isaías 47:11, veremos que o termo “mal” se refere à “desolação” e às “calamidades” que Deus permitiria vir sobre os babilônicos por não terem se arrependido dos pecados deles! Vejam:

Pelo que sobre ti virá o mal que por encantamentos não saberás conjurar; tal calamidade cairá sobre ti, da qual por expiação não te poderás livrar; porque sobre ti, de repente, virá tamanha desolação, como não imaginavas.

A palavra hebraica para designar mal em todos os versos citados no começo do artigo é ‘ra e pode significar: “mal moral“, “natureza perversa“, “males como inundações, terremotos, tempestades“. Mas, nesse contexto, ao entendermos sobre do que se trata os versículos citados, concluímos que são consequências do mal que os próprios seres humanos causaram ou buscaram, ou seja, a consequência seria o mal natural ou mal físico.

Também como dito no começo do artigo, sobre a forma que os judeus e cristãos antigos entendiam ou expressavam-se, podemos compreender o idiomatismo hebraico (forma como os hebreus se expressavam) que apresenta Deus fazendo coisas que na verdade, Ele não impede de acontecerem. Esse é o caso de 1 Samuel 16:14.

Conclusão

Quando entendemos o termo no original e a forma como o hebreu se expressa (apresenta Deus a fazer algo, mas, que na verdade Ele não impediu, Ele permitiu), conseguimos entender tais questões difíceis. E, quando lemos o contexto geral das Escrituras, concluímos que Deus realmente não é o autor do mal moral, mas sim que Ele permite que calamidades e desolações sobrevenham a pessoas, grupos ou nações rebeldes. Há também calamidades naturais como por exemplo: seca, inundações, furacões, glaciação, etc… que são ocorrências naturais do planeta, as quais estamos expostos. Pelo que lemos na Bíblia, Deus não altera o clico natural da natureza, porém em casos específicos como relatado na história de José (do Egito), Ele fez com que seu povo e toda a região do Oriente Médio conseguisse suportar a grande seca que viria, mas Ele mesmo não fez com que a seca não viesse, apenas deu uma opção para que o povo não perecesse naquela situação.

Abaixo relacionamos alguns vídeos interessantes para melhorar seu raciocínio sobre este tema:

 

Referências:

Evidence For God;

Novo Tempo

Imagem fonte: Reprodução Google

Deus criou o mal?
1 votos até agora

10 comentários em “Deus criou o mal?

  • 17 de outubro de 2016 em 4:03 PM
    Permalink

    Não entendi. Se Deus apenas permite o mal. Porque em Isaias 45:7 ele diz: Eu crio? Ele não poderia dizer eu permito? Não é apenas a forma de os hebreus se expressarem como foi concluído porque nesse caso é o próprio Deus quem está dizendo. Assim diz o Senhor…

    Resposta
    • 18 de outubro de 2016 em 1:50 PM
      Permalink

      Querida, tudo bem?
      Isso está explicado no próprio artigo… você chegou a ler todo ele?

      Abraços

      Resposta
  • 18 de outubro de 2016 em 7:08 PM
    Permalink

    Muitoo bom o artigo, acabei de deixar o site como favorito para sempre estar seguindo!!! Obrigado !!!

    Resposta
  • 22 de outubro de 2016 em 5:14 PM
    Permalink

    então se Deus pode ver o Futuro porque então ele criou Lúcifer, se ele já sabia o que ele se tornaria?

    Resposta
    • 22 de outubro de 2016 em 5:46 PM
      Permalink

      Por causa da justiça Dele. Deus criou a Lucifer (Satanás) bom, todo potencial para ser o melhor possível, tanto que Ele fez Luficer como o maior entre suas criaturas. Deus fez suas criaturas com todo potencial para fazer o bem, mas com a possibilidade de voltarem-se contra Ele. Isso é justiça. Deus não queria criar marionetes, robôs ou algo do tipo que não pudesse escolher, Ele nos deu o poder da escolha, mas obviamente nos mostrando o que cada lado (bom e mal) poderiam oferecer. Como Deus não é mal, não habita ou não escolhe o mal, Ele não pode apoiá-lo, assim também não pode apoiar quem se entrega ao mal, por isso, quem escolher esse lado, automaticamente está indo para um caminho onde Deus não está, e tudo que está fora de Deus, não é criado por Ele, automaticamente, não terá continuidade. Um dia acabará.

      Resposta
    • 25 de novembro de 2016 em 4:57 PM
      Permalink

      Vou te dar um exemplo, um professor de faculdade chegou um dia a seus alunos e pediu para que todos eles dessem uma nota de 1 ou 10 para ele mas para anotar em um papel, ele só queria 0 ou 10, não queria 7 não queria 5, então todos os alunos deram a nota e entregaram os papéis a ele, então ele iria entregar ao diretor mas antes ele passou na sua casa e separou todos os papeis fazendo 2 fileiras, uma de 10 e outra de 0 e então queimou todos os papeis de 0 e entregou todos os papéis de 10 ao diretor e falou que essa era a nota de quem quis dar a nota. Você acha certo o que esse professor fez? Deus não faz isso, ele permite que todos façam o que quiser, mas terá suas consequencias futuras, Deus permite as pessoas dar 0 a ele, Deus permite as pessoas se rebelarem contra ele, permitiu que o Diabo fizesse o que queria fazer, porém um dia Deus vai ter que acabar com o mal, por agora TODAS as pessoas VIVAS, podem estar buscando ele e escolhendo abandonar o pecado, porque o salário do pecado é a morte, e poder estar buscando a vida que é Jesus Cristo, Deus vai permitir as pessoas serem más ou boas, porque são livres para escolher, tudo me é permitido mas nem tudo me convém, um dia Deus terá que acabar com o mal para que todos os que escolheram a Deus possa estar vivendo ao lado de Deus em um lugar que será perfeito, sem dor, morte, sofrimento, nem nada assim, será perfeito.

      Resposta
  • 29 de outubro de 2016 em 6:03 PM
    Permalink

    Muito bom esses estudos pois assim ñ padecemos por ñ Conheçer a palavra do criador

    Resposta
  • 22 de novembro de 2016 em 11:39 PM
    Permalink

    Sei que é difícil entender tudo isso. É preciso tranquilidade e dedicação para tal, porém para um assunto tão polêmico como esse é sempre importante lembrar que essa explicação é tendenciosa a uma linha de raciocínio arminiana e que existem outras linhas de pensamento sobre o tema. Eu entendo que Deus cria o mal sim, porque ele é Deus e faz tudo que lhe apraz e isso em hipótese alguma agride Ele e sua Santidade. Deus é Deus em qualquer situação.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      23 de novembro de 2016 em 12:49 AM
      Permalink

      Olá Renato, tudo bem?

      Não sei se você chegou a ler todo o texto e viu os vídeos, mas posso lhe afirmar que não seguimos nenhuma visão teológica de forma deliberada, seja arminiana ou outra. Podemos sim concordar com alguns pontos por que eles atravessam nossa linha de estudos. Isso realmente pode ocorrer.

      De qualquer forma, foi explicado que Deus não cria o mal como algo necessário. Ele obviamente dá essa opção como ato de justiça contra Sua própria vontade, creio que essa seja a maior prova de liberdade que Ele dá a suas criaturas, ou seja, o senso de negação. Mas, tudo que não está no controle de Deus (pois não foi criado por Ele), está fadado ao fracasso, por isso a experiência do mal talvez se faça necessária para que todas as criaturas saibam que ele não compensa.

      Essa linha de pensamento que o irmão trouxe é algo muito antigo, na verdade até está agendado para amanhã as 19hs um estudo que fala um pouco disso, não diretamente mas fala. Os hebreus também acreditavam que a soberania de Deus era tão completa que Ele era o responsável pelo mal também, como agente causador e não um agente permissivo. O que explicamos neste artigo acima é justamente isso, mostramos que Deus é um agente permissivo, justamente por causa da Sua justiça.

      Ademais, o mal surgiu do bem, isso é fato. Mas não surgiu de Deus. Isso podemos ver em várias passagens bíblicas. Se você pensar bem, até o mal usa o bem para benefício próprio. Alguém que rouba, está buscando algo em última instância que a satisfaz, que trará algum benefício para ela. Então, a “existência” do mal é algo que se permitiu sair de outro lugar, neste caso, o bem. Entende?

      Deus não é mal e não criou o mal pelo simples fato de que Ele não pode fazer algo contrário a Sua própria natureza. Deus é luz, e nEle não há trevas. 1 João 1:5
      Isso seria como Ele criar um quadrado redondo, algo ilógico. Simples assim.

      Abraços e fique na paz. Deus te abençoe e te guarde!

      Resposta
  • 25 de novembro de 2016 em 7:28 PM
    Permalink

    Não creio que seja uma definiçāo de mal natural ou físico. Ora sem a permissão do mal no mundo, em que se embasaria o livre arbítrio? Ora. o próprio Criador é criador de TODAS as coisas. Pôs a arvore do conhecimento do bem e do mal, logo o mal já existia mas não se manifestava. Foi a queda pelo pecado original que premitiu tal manifestação.
    Noutra questão devemos atentar. Se Deus não criou o mal, quem foi. E não me venham com a FÁBULA do anjo bonzinho que se rebelou no céu. O próprio Messias cita a naturaza do shaitan (João 8:44).
    Não há outro criador. O mal (com o perdão da redundância) é um mal necessário. E cabia ao primeiro casal essa decisāo, mesmo eles não tendo a consciência do que era mal, pois estes somente o conheceram após “abrirem os olhos” e perceberem sua real condição.
    Mas sua opinião é mui interessante e expressa muitas outras circunstâncias a serem exploradas.
    Deus vos abençoe!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *