Cristãos são crucificados, queimados, violentados, empurrados de pontes e até esmagados na Coreia do Norte

Os cristãos na Coreia do Norte enfrentam estupros, torturas, escravidão e são mortos por causa da sua fé, alerta um novo e contundente relatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW).chartA CSW, uma instituição de caridade e liberdade religiosa, sediada no Reino Unido, afirma neste relatório que há:

Total negação e violações de liberdade de religião ou crença na Coreia do Norte, país liderado pelo ditador Kim Jong-Un.

As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à fidelidade exigida pelo Líder Supremo [da Coreia do Norte], por isso, qualquer pessoa que mantenha a fé acaba sendo severamente perseguida.

Os cristãos sofrem significativamente pois o Partido Comunista que lidera o país os rotulam como antirrevolucionários e imperialistas [algo que os líderes comunistas consideram como perigoso à liderança do país, que se considera “revolucionário”, algo comum nos regimes comunistas]. [grifo nosso]

Entre os casos documentados contra os cristãos estão:

Pendurados em cruzes com fogueiras embaixo; jogados de cima de pontes; esmagados por rolo compressor e pisoteados até a morte.

Outros crimes incluem

Execuções sem julgamento, extermínio, escravidão/trabalho forçado, transferência forçada de população, prisões arbitrárias, torturas, perseguição, sequestros, estupro e violência sexual, entre outros atos desumanos.

Embora o regime do ditador Kim Jong-Un afirma oficialmente que existam apenas 13 mil cristãos na Coreia do Norte, acredita-se que o número real seja muito maior. A Cornerstone Ministries International, instituição missionária que trabalha com os cristãos da Coreia do Norte e da China, estima que existam entre 200 a 300 mil cristãos no total.

Representação de cristãos em campo de concentração de trabalho forçado na Coréia do Norte.

Os crentes são obrigados a praticar sua fé em segredo, e se forem pegos, são enviados para campos de trabalho forçado. Um fugitivo disse à CSW que enquanto estava detido, conheceu um prisioneiro que foi enviado para o campo simplesmente porque ele tinha passado um mês na China estudando a Bíblia.

Uma política de culpa por associação também é aplicada, o que significa que os parentes de cristãos também são presos, independentemente se eles compartilham a crença cristã(…) Mesmo norte-coreanos que fugiram para a China, e que são ou se tornam cristãos, muitas vezes são repatriados e, posteriormente, presos em um campo de prisioneiros políticos. , diz o relatório.

Apesar da intensa perseguição, existem 121 instalações religiosas na Coreia do Norte, sendo 64 templos budistas, 52 templos Cheondoísta, 3 igrejas protestantes, uma catedral católica e uma igreja ortodoxa russa, afirma o Centro de Dados sobre Direitos Humanos da Coreia do Norte.

Todas as cinco igrejas cristãs estão na capital Pyongyang, no entanto, analistas sugerem que elas só estão abertas para melhorar a imagem da Coreia do Norte com a comunidade internacional, e não funcionam como locais te culto livre.

Há também relatos não confirmados de 500 igrejas domésticas no país, pertencentes a indivíduos cujas famílias eram cristãos antes de 1950 – quando começou a Guerra da Coreia – e estariam autorizados a se reunir para o culto. No entanto, eles não são autorizados pelo governo a eleger líderes ou usar objetos religiosos (como crucifixos, púlpitos, etc).

Os cristãos não são o único grupo religioso a sofrer sob o regime comunista do ditador Kim Jong-Un.

Budistas e Cheonistas também são tratados como anti-revolucionários, embora o maior número de templos do que igrejas sugere que o regime tenha um maior grau de tolerância para as crenças consideradas nativas da Ásia e da península coreana, disse a CSW.

O relatório sugere, no entanto, que os templos são mantidos como patrimônio cultural, em vez de funcionar como edifícios religiosos.

Eu vi um livro budista uma vez em um templo, ele tinha uma cinta em volta dele [fechando-o] com letras chinesas escritas nele. Há templos, mas as pessoas não estão autorizados a meditarem neles, disse um entrevistado à Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional dos EUA. [grifo nosso]

Estas instalações religiosas, organizações e instituições são mantidas para indicar a existência de pluralismo religioso e aceitação, mas a realidade é cheia de contradições. A Comissão de inquérito da ONU e de outras fontes têm testemunhado a utilização destes recursos formais, organizações e instituições para meios políticos, afirma o relatório da CSW.

A CSW pediu apoio à comunidade internacional para levar a Coreia do Norte ao Tribunal Penal Internacional por suas incontáveis violações dos direitos humanos.

O regime é ativamente hostil à religião e as pessoas religiosas, tanto para religiões/religiosos do próprio país quanto para quaisquer outros. Muitos norte-coreanos estão sofrendo por causa de sua fé, e a comunidade internacional precisa agir urgentemente para acabar com a impunidade e garantir que a Coreia do Norte preste contas do que está fazendo, disse a CSW.

Ainda segundo a CSW,

A ONU e outros membros da comunidade internacional devem garantir que os direitos humanos sejam fundamentais em quaisquer negociações com a Coreia do Norte(…) Todo esforço deve ser feito para buscar a responsabilização e justiça para o povo da Coreia do Norte, que sofrem abusos dos direitos humanos em uma escala sem paralelo no mundo moderno.

De acordo com o Relatório de Classificação da Perseguição Religiosa, emitido pela ONG Portas Abertas, a Coreia do Norte é hoje o país que mais persegue religiosos, e até o momento, nada foi feito pela ONU ou por alguma grande entidade de Direitos Humanos do mundo para que este quadro mude.

De acordo com a Freedom House, uma ONG internacional que faz vigilância independente dedicada à expansão da liberdade e da democracia no mundo, a Coreia do Norte está em 4º lugar entre os 12 países/territórios que mais violam a liberdade no mundo, conforme exposto em seu relatório disponível [em inglês] neste link.

 

Referências:

Christian Today – Christians ‘Hung On A Cross Over Fire’, Steamrollered And Crushed To Death In North Korea

Relatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW), disponível [em inglês] neste link

Imagens fonte: Reprodução Google

Avalie este artigo

Um comentário em “Cristãos são crucificados, queimados, violentados, empurrados de pontes e até esmagados na Coreia do Norte

  • 6 de dezembro de 2016 em 12:28 PM
    Permalink

    A ONU é só fachada. O objetivo mor desta instituição é solidificar o reino da besta.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *