Obama se recusa a receber refugiados cristãos em massa, mas recebe milhares de muçulmanos

Análise sobre a recusa do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em receber refugiados cristãos e outros grupos não muçulmanos que fugiram ou foram expulsos em massa de seus países de origem por conta dos conflitos e perseguições. Contraditoriamente, Obama recebe milhares de muçulmanos.chartA grande pergunte é: Por quê um grupo tem mais privilégios que outros? Parece que o Sr. Obama está seguindo a mesma conduta que a ONU com relação aos cristãos.

 

Referências:

Conservati Base – Obama-Clinton Bigotry? Of 10,000 Syrian refugees only 52 are Christians

PJ Media – Syrian Refugee U.S. Arrivals in September To Date: 749 Muslims, 2 Christians

Department of Homeland Security – USCIS (EUA) – Transcript of USCIS-DOS-HHS Press Call on Syrian Refugee Processing

Imagem fonte: Reprodução Google

Avalie este artigo

Andréa Fernandes

Andréa Fernandes

Graduada em Direito, Ciências Contábeis e Relações Internacionais, é Diretora-Presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, instituição humanitária que milita denunciando a perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano junto ao Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos públicos, bem como promove eventos objetivando fomentar conscientização humanitária para socorrer as vítimas da intolerância religiosa. É também colunista no Portal Gospel Prime. Para saber mais sobre Andréa, acesse a página Equipe no rodapé do site.

3 comentários em “Obama se recusa a receber refugiados cristãos em massa, mas recebe milhares de muçulmanos

  • 17 de setembro de 2016 em 6:55 PM
    Permalink

    Impressionante como as pessoas fazem questão de politizar tudo. Já de cara que não é o Obama quem decide quem entra como refugiado, pra isso existe um órgão americano chamado “Escritório de Reassentamento de Refugiados”.
    Eu até entendo que cristãos e outras grupos não muçulmanos se enquadrem melhor no conceito minoria perseguida por motivos religiosos na Síria. Porém, a motivação do ISIS vai muito além de eliminar outras religiões, ao ponto de perseguir até mesmo outros grupos islâmicos que se oponham aos seus objetivos.
    E alguns dados que ajudam a entender (mas que não justificam) essa diferença nos números parecem que foram cuidadosamente omitidos nesse artigo numa provável tentativa de confundir o leitor: 93% da população síria é composta de muçulmanos, como esperar que o número de refugiados sírios muçulmanos não seja maior que o de não muçulmanos ?
    Outro dado ainda mais interessante não mencionado é que quando se considera o número total, não somente os sírios, durante o último ano o número refugiados cristãos em solo americano é praticamente igual ao de muçulmanos.

    Resposta
    • 18 de setembro de 2016 em 2:47 AM
      Permalink

      Alex, sei que para o senso comum fica muito difícil compreender determinadas análises, principalmente quando se reportam a ações na área de Relações Internacionais, mas terei o cuidado de explicitar questões que você não consegue perceber dada a pesada influência midiática que visivelmente recebe. Afirmar que não é o Obama que decide sobre a entrada de refugiados, e sim, um simples órgão do governo é incoerente, já que, toda agência governamental deve seguir a diretriz que emana justamente das “inclinações ideológicas” do presidente e de seus aliados políticos. Aliás, os EUA, “coincidentemente” contam com uma parceria externa relevante, qual seja, a ditadura sanguinária da Arábia Saudita cuja “política de Estado” é perseguir toda e qualquer religião e promover o wahabismo em todo o mundo para submeter os “infiéis” ao islã. Aliás, também “coincidentemente”, a Arábia Saudita REJEITOU o ingresso de seus irmãos sunitas em seu território apesar de ter 100 mil TENDAS climatizadas VAZIAS que poderiam receber 3 MILHÕES de sírios, mas preferiu se prontificar a construir 200 MESQUITAS na Alemanha! E aí, vem um “ingênuo” dizer que EUA deve receber maior quantidade de muçulmanos do que cristãos (estes sim, odiados e perseguidos em todo mundo muçulmano). Como sei disso? Trabalho com direitos humanos e me preocupo sim, com a questão dos refugiados muçulmanos que são rejeitados pelos países ricos do Golfo Pérsico! Mas, Obama se importa com isso???

      Acredito piamente que o DEVER primordial de receber a maioria dos refugiados muçulmanos deve ser compartilhado pelos ricos países muçulmanos que não recebem um sequer… Você sabe por que? Que tal “pesquisar” sobre o tema???

      E o fato de o EI perseguir inimigos tribais não anula em nada a realidade de ter objetivo central de EXTERMINAR SISTEMATICAMENTE cristãos e demais minorias religiosas e étnicas para dar cumprimento à sua obrigação religiosa advinda do conceito de Dar al-Harb (mais um tema interessante para você pesquisar). No entanto, como você não conhece o arcabouço da fé islâmica é mais fácil seguir o entendimento simplista dos multiculturalistas que fazem os incautos acreditar que pelo fato do ISIS TAMBÉM combater os xiitas e outros sunitas, deve ser “sublimado” o GENOCÍDIO de cristãos e yazidis. Aliás, você mesmo “evita” o “desconforto ideológico” de reconhecer que está havendo um terrível genocídio, pois, assim, destruiria completamente sua tentativa de argumentação sob o pretexto de que se o ISIS mata sunitas, a execução em massa de cristãos não seria um assunto tão grave assim para gerar inconformismo com as tomadas de decisão do governo Obama! Até onde sei, o ISIS SUNITA não está perpetrando genocídio contra os sunitas! Se conhecer alguma FONTE que ateste o contrário, pode apresentar, ok? Será que você sabe que são os sunitas o maior grupo de apoio do EI? Sunitas de todo o mundo estão se unindo às suas fileiras, inclusive, muitos dos que são catalogados como “refugiados” pelo Ocidente! Os cristãos, ao contrário, são APENAS vítimas de “sunitas moderados e extremistas”!

      Aliás, o que você escreve já demonstra irrefragável MÁ-FÉ quando aduz suposição de que “números cuidadosamente suprimidos teriam a provável finalidade de confundir o leitor”. É mesmo? Você não apresentou nenhuma prova dessa ilação… E eu só tenho um termo para isso: “desonestidade intelectual”.

      Em primeiro lugar: o VÍDEO foi produzido com tempo diminuto justamente para alcançar maior número de visualizações, pelo que, torna-se impossível apresentar todos os dados para esgotar o tema, principalmente, aqueles que um LEIGO metido a especialista considera indispensáveis!

      E, usar o número da população síria de muçulmanos como sendo majoritário (87%) para fundamentar que por esse motivo, um país ocidental teria o dever de receber mais refugiados muçulmanos que cristãos é de uma puerilidade abissal, exceto, se você acreditar que realmente num país onde 10% da população é cristã – o que importa em aproximadamente 2,3 milhões de pessoas que estão ameaçadas de GENOCÍDIO – seria uma decisão justa os EUA receberem menos de 60 cristãos ao passo que os muçulmanos recebidos são mais de dez mil… Somente o “relativismo moral” aceita a ideia de que um país que sempre se lançou como “defensor dos cristãos” receba menos de 60 cristãos quando milhões deles estão ameaçados de genocídio, porque entende que o socorro maior deve ser para muçulmanos pois o Ocidente não quer pressionar as aliadas teocracias islâmicas a receber seus irmãos! Muito “coerente” e justo” isso!!!

      Segundo o Departamento de Estado dos EUA, dos 2.184 refugiados sírios admitidos no país DESDE a erupção da guerra civil síria em 2011, apenas 53 (2,4 %) eram cristãos, enquanto 2.098 ( 96 %) eram muçulmanos (Nov/2015). Difícil compreender por que os EUA durante todos esses anos de guerra na Síria recebeu apenas 100 cristãos? Volto a repetir: isso é justo em relação a uma minoria que sofre genocídio e que não tem abrigo seguro em países muçulmanos? Você pode dizer para onde enviar esses cristãos?

      Aliás, se você quiser saber o motivo dos EUA terem o “dever moral” de acolher milhares de cristãos de TODO mundo muçulmano onde são perseguidos e/ou massacrados por governos, facções terroristas islâmicas e comunidades muçulmanas, passe a acompanhar as postagens na página da ONG Ecoando a Voz dos Mártires. Quem não estuda o tema “perseguição religiosa no mundo muçulmano” tende realmente a defender muslim Obama e sua política de acolhimento em massa de refugiados muçulmanos!

      Resposta
  • 18 de setembro de 2016 em 2:42 AM
    Permalink

    Alex, sei que para o senso comum fica muito difícil compreender determinadas análises, principalmente quando se reportam a ações na área de Relações Internacionais, mas terei o cuidado de explicitar questões que você não consegue perceber dada a pesada influência midiática que visivelmente recebe. Afirmar que não é o Obama que decide sobre a entrada de refugiados, e sim, um simples órgão do governo é incoerente, já que, toda agência governamental deve seguir a diretriz que emana justamente das “inclinações ideológicas” do presidente e de seus aliados políticos. Aliás, os EUA, “coincidentemente” contam com uma parceria externa relevante, qual seja, a ditadura sanguinária da Arábia Saudita cuja “política de Estado” é perseguir toda e qualquer religião e promover o wahabismo em todo o mundo para submeter os “infiéis” ao islã. Aliás, também “coincidentemente”, a Arábia Saudita REJEITOU o ingresso de seus irmãos sunitas em seu território apesar de ter 100 mil TENDAS climatizadas VAZIAS que poderiam receber 3 MILHÕES de sírios, mas preferiu se prontificar a construir 200 MESQUITAS na Alemanha! E aí, vem um “ingênuo” dizer que EUA deve receber maior quantidade de muçulmanos do que cristãos (estes sim, odiados e perseguidos em todo mundo muçulmano). Como sei disso? Trabalho com direitos humanos e me preocupo sim, com a questão dos refugiados muçulmanos que são rejeitados pelos países ricos do Golfo Pérsico! Mas, Obama se importa com isso???

    Acredito piamente que o DEVER primordial de receber a maioria dos refugiados muçulmanos deve ser compartilhado pelos ricos países muçulmanos que não recebem um sequer… Você sabe por que? Que tal “pesquisar” sobre o tema???

    E o fato de o EI perseguir inimigos tribais não anula em nada a realidade de ter objetivo central de EXTERMINAR SISTEMATICAMENTE cristãos e demais minorias religiosas e étnicas para dar cumprimento à sua obrigação religiosa advinda do conceito de Dar al-Harb (mais um tema interessante para você pesquisar). No entanto, como você não conhece o arcabouço da fé islâmica é mais fácil seguir o entendimento simplista dos multiculturalistas que fazem os incautos acreditar que pelo fato do ISIS TAMBÉM combater os xiitas e outros sunitas, deve ser “sublimado” o GENOCÍDIO de cristãos e yazidis. Aliás, você mesmo “evita” o “desconforto ideológico” de reconhecer que está havendo um terrível genocídio, pois, assim, destruiria completamente sua tentativa de argumentação sob o pretexto de que se o ISIS mata sunitas, a execução em massa de cristãos não seria um assunto tão grave assim para gerar inconformismo com as tomadas de decisão do governo Obama! Até onde sei, o ISIS SUNITA não está perpetrando genocídio contra os sunitas! Se conhecer alguma FONTE que ateste o contrário, pode apresentar, ok? Será que você sabe que são os sunitas o maior grupo de apoio do EI? Sunitas de todo o mundo estão se unindo às suas fileiras, inclusive, muitos dos que são catalogados como “refugiados” pelo Ocidente! Os cristãos, ao contrário, são APENAS vítimas de “sunitas moderados e extremistas”!

    Aliás, o que você escreve já demonstra irrefragável MÁ-FÉ quando aduz suposição de que “números cuidadosamente suprimidos teriam a provável finalidade de confundir o leitor”. É mesmo? Você não apresentou nenhuma prova dessa ilação… E eu só tenho um termo para isso: “desonestidade intelectual”.

    Em primeiro lugar: o VÍDEO foi produzido com tempo diminuto justamente para alcançar maior número de visualizações, pelo que, torna-se impossível apresentar todos os dados para esgotar o tema, principalmente, aqueles que um LEIGO metido a especialista considera indispensáveis!

    E, usar o número da população síria de muçulmanos como sendo majoritário (87%) para fundamentar que por esse motivo, um país ocidental teria o dever de receber mais refugiados muçulmanos que cristãos é de uma puerilidade abissal, exceto, se você acreditar que realmente num país onde 10% da população é cristã – o que importa em aproximadamente 2,3 milhões de pessoas que estão ameaçadas de GENOCÍDIO – seria uma decisão justa os EUA receberem menos de 60 cristãos ao passo que os muçulmanos recebidos são mais de dez mil… Somente o “relativismo moral” aceita a ideia de que um país que sempre se lançou como “defensor dos cristãos” receba menos de 60 cristãos quando milhões deles estão ameaçados de genocídio, porque entende que o socorro maior deve ser para muçulmanos pois o Ocidente não quer pressionar as aliadas teocracias islâmicas a receber seus irmãos! Muito “coerente” e justo” isso!!!

    Segundo o Departamento de Estado dos EUA, dos 2.184 refugiados sírios admitidos no país DESDE a erupção da guerra civil síria em 2011, apenas 53 (2,4 %) eram cristãos, enquanto 2.098 ( 96 %) eram muçulmanos (Nov/2015). Difícil compreender por que os EUA durante todos esses anos de guerra na Síria recebeu apenas 100 cristãos? Volto a repetir: isso é justo em relação a uma minoria que sofre genocídio e que não tem abrigo seguro em países muçulmanos? Você pode dizer para onde enviar esses cristãos?

    Aliás, se você quiser saber o motivo dos EUA terem o “dever moral” de acolher milhares de cristãos de TODO mundo muçulmano onde são perseguidos e/ou massacrados por governos, facções terroristas islâmicas e comunidades muçulmanas, passe a acompanhar as postagens na página da ONG Ecoando a Voz dos Mártires. Quem não estuda o tema “perseguição religiosa no mundo muçulmano” tende realmente a defender muslim Obama e sua política de acolhimento em massa de refugiados muçulmanos!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *