No ‘Dia Internacional dos Direitos Humanos’ ONU ignora o genocídio de Cristãos – duvida?

Compartilhe
Hoje, 10 de dezembro, é comemorado o “Dia Internacional dos Direitos Humanos“. 

A data foi instituída em 1950, dois anos após a Organização das Nações Unidas (ONU) adotar a Declaração Universal do Direitos Humanos como marco legal regulador das relações entre governos e pessoas. Essa data constitui, portanto, muito mais do que uma data comemorativa. É um dia para a coletividade global relembrar que a garantia efetiva dos direitos humanos – a todos os povos e nações – requer vigilância contínua e participação coletiva. [1]

No dia 09 de dezembro (ontem) foi comemorado o “Dia Internacional de Homenagem e Dignidade das Vítimas do Crime de Genocídio“, data que também foi instituída pela ONU em 2015 e que marca a adoção, há 68 anos, da Convenção sobre a Prevenção e a Punição dessa forma de violência. [2] A data tem como objetivo pedir à comunidade internacional que tome atitudes para combater a intolerância, a xenofobia e a hostilidade.

Apesar de ser uma iniciativa válida, a ong cristã Christian Solidarity Worldwide (CSW) pede que a ONU pare de ignorar o genocídio de cristãos. Clama especialmente que a Coreia do Norte e a Eritreia sejam responsabilizados.

No discurso deste ano, o Secretário – Geral ONU, Ban Ki – moon, disse que,…

os Estados membros e a comunidade internacional devem honrar o sofrimento das vítimas de genocídio e de suas suas famílias, trabalhando ainda mais duro contra as manifestações de ódio, intolerância, racismo e xenofobia.

Ronald S. Lauder, presidente do Congresso Mundial Judaico, durante um encontro sobre o tema dias atrás, lembrou que a situação no Oriente Médio, aliado à indiferença das pessoas, remetem a outros grandes genocídios no passado, que ainda assombram o mundo.

Hoje em dia testemunhamos a indiferença do mundo quanto à matança de cristãos no Oriente Médio e na África(…) Os judeus sabem muito bem o que acontece quando o mundo está silencioso em relação ao abate em massa. Nós aprendemos isso da maneira mais difícil, afirma Lauder. [3]

Nessa data comemorativa, nenhum desses países citados foi mencionado como perpetuadores do genocídio contra cristãos pela ONU.

Como a CSW observa, o Estado Islâmico não pode ser responsabilizado nas Nações Unidas, pois não é um país membro. Mesmo assim, a Síria não vem sendo cobrada por ações efetivas nesse sentido. [4]

Em junho, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) publicou um documento que aborda as violações aos direitos humanos na região. Admite que há genocídio contra a minoria yazidi. Porém, mesmo que inúmeros relatórios apontem que o mesmo ocorra com os cristãs, a ONU se nega a reconhecer isso. [5]

Nos últimos anos a ONU vem negligenciando as perseguições, restrições, escravidão e o genocídio de cristãos e outras minorias pelo mundo – praticamente cega diante das diversas violações de direitos humanos que ocorrem. Assim, há cada vez mais violência e menos liberdade no mundo. Ao que parece, essa organização se esqueceu de seu objetivo principal, que seria proteger a liberdade e a paz do mundo e agora se tornou numa espétice de força tarefa antissemita, focando todos seus esforços para derrubar um único país – o Estado Democrático de Israel – visto que somente em 2015 ela promulgou 20 resoluções contra este país enquanto que promulgou apenas 3 resoluções contra todos os países do planeta. Apenas três resoluções contra todos os países que cerceiam os direitos humanos de seus cidadãos. Não parece algo, no mínimo estranho?

As palavras de Benjamin Netanyahu refletem bem a realidade dessa organização:

A ONU começou como uma força moral e se transformou em uma farsa moral. [6]

Infelizmente, a realidade é que a maioria dos seres humanos vive sem dignidade, sem seus direitos básicos garantidos e não possuem a simples liberdade. Nesse Dia Internacional dos Direitos Humanos não temos muito o que comemorar, muito menos quando lembrandos das vítimas de genocídios. Mas, devemos agradecer a Deus por viver em um país relativamente livre e devemos orar por aqueles que não possuem o mesmo privilégio.

 

Referências

[1] Ministério Público Federal – Dia Internacional dos Direitos Humanos: uma data para ser lembrada todos os dias do ano

[2] ONUBR – ONU celebra, pela primeira vez, Dia Internacional em homenagem às vítimas de genocídios no mundo

[3] CNS News – Panel: Genocide, wars, indifference will make Mideast Christians extinct

[4] Gospel Prime – ONU promove “Dia das Vítimas de Genocídio”, mas deixa cristãos de fora

[5] United Nations Human Rights – Human rights situations that require the Council’s attention

[6] Notícias: UNESCO (ONU) anula ligação histórica entre judeus e o Monte do Templo em Jerusalém

Imagem fonte: Reprodução Google

1 Comentário em "No ‘Dia Internacional dos Direitos Humanos’ ONU ignora o genocídio de Cristãos – duvida?"

Não comentarei, mas:
avatar
Ordenar por:   mais novo | mais antigo | mais votado
Luciferiano
Visitante

Não meu caro. A ONU nunca esqueceu do seu objetivo principal. Somos nós que não percebemos, mas agora estamos vendo.

wpDiscuz
Translate / Traduzir