Triste: Pesquisa diz que há menos cristãos orando por refugiados

Compartilhe
Cristãos americanos estão menos sensíveis à crise na Síria do que eram há um ano atrás, de acordo com uma pesquisa intitulada de “Survey: While Aleppo and Mosul burn, American Christians less likely to pray for, help refugees than a year ago” encomendada pela World Vision e conduzida pela Ipsos Public Affairs.

Poucos “cristãos comprometidos” disseram que haviam tomado medidas em favor dos refugiados nos últimos dois anos. Em 2016, 38% disseram que estavam envolvidos em causas sobre os refugiados, comparado a 44% em 2015. O número de cristãos comprometidos orando por refugiados sírios caiu em mais de um terço este ano, para 19%.

É decepcionante ver o coração da América se fechar para os refugiados. Esta não é a nação compassiva e generosa que eu sei que somos, disse Richard Stearns, presidente da World Vision.

Stearns lançou uma campanha de solidariedade de Natal chamada Candle4Syria.

E é chocante que os cristãos, que são mantidos a um padrão mais elevado por nosso Senhor, estejam orando muito pouco pelos refugiados, continuou Stearns.

Em 2015 os cristãos americanos eram 14% mais dispostos a compartilhar notícias sobre os refugiados nas mídias sociais e 11% mais dispostos em doar recursos aos grupos de ajuda, informou a World Vision.

Desde que a guerra civil começou em meados de 2011, cerca de 6,1 milhões [outras fontes dizem ser 12 milhões] de sírios permanecem deslocados dentro de seu país e cerca de 4,8 milhões são refugiados; metade desses são crianças.

Uma pesquisa divulgada em janeiro pela LifeWay Research indicou que, apesar do amplo apoio à ideia de ajudar os refugiados, muitas igrejas americanas tem preocupações:

Cerca de 56% dos pastores batistas e 50% de pentecostais dizem que há uma sensação de medo em suas igrejas sobre os refugiados que vêm para os Estados Unidos. Assim como 33% dos pastores luteranos e 29% dos pastores presbiterianos.

Ainda de acordo com a pesquisa, 46% dos pastores brancos são mais propensos a dizer que suas congregações têm medo de refugiados, contra 33% de pastores de outras etnias.

Nota R.C 1: A pesquisa foi feita com base na situação da Síria, mas é um contexto geral sobre a questão do drama dos refugiados. A imagem que escolhemos para esta notícia retrata bem essa questão, uma criança síria que não teve chance de escapar para a paz, principalmente não teve a chance de viver em paz em sua terra natal. Esta imagem nunca deveria sair da cabeça de nenhuma pessoa, seja ela cristã ou não, para sempre lembrarmos que existem pessoas morrendo, sendo escravizadas, entre outras atrocidades; sendo principalmente as crianças que mais sofrem. E não só na Síria, mas em vários outros países do mundo. Parece que a excessiva informação sobre esses problemas faz com que as pessoas se importem menos, deixam seu amor ao próximo esfriar, assim observam essas tristes realidades como algo corriqueiro do dia-a-dia. Mas não deve ser assim, não pode ser assim. 

Nota R.C 2: Na última semana os jornais internacionais informaram que o governo sírio havia retomado Aleppo dos rebeldes e ao que parece, não há registro de pessoas saindo da cidade atualmente. O presidente da Síria Bashar al-Assad, permitiu que os cristãos remanescentes comemorassem o Natal em Aleppo. 

 

Fonte: 

Traduzido e adaptado de Christianity Today

Imagem fonte: Reprodução Google

Seja o Primeiro a Comentar!

Não comentarei, mas:
avatar
wpDiscuz
Translate / Traduzir