Notícias: Massacre de cristãos no Oriente Médio é questionado por líder judaico

Ronald Lauder questiona porque o mundo se cala diante dos ataques terroristas e consequentemente o massacre de cristãos no Oriente Médio!

Enquanto a violenta perseguição contra os cristãos ao redor do mundo se intensifica, Ronald S. Lauder, presidente do Congresso Mundial Judaico, em um recente artigo, pergunta sem rodeios:

Porque o mundo se cala enquanto cristãos são mortos na África e no Oriente Médio?

chart

Na Europa e nos Estados Unidos, temos assistido à demonstrações sobre as mortes trágicas de palestinos que foram usados como escudos humanos pelo Hamas, a organização terrorista que controla Gaza, escreveu Lauder em seu texto publicado no The New York Times.

As Nações Unidas realizaram investigações e focaram sua raiva em Israel por se defender contra essa mesma organização terrorista. Mas o massacre bárbaro de milhares e milhares de cristãos é tratado com relativa indiferença.

Lauder lidera o Congresso Judaico Mundial, que é uma organização internacional que representa as comunidades e organizações judaicas em cem países ao redor do mundo.

No editorial, ele observa que, no Oriente Médio e em partes da África Central, comunidades cristãs inteiras estão sendo perdidas em áreas onde a paz prevaleceu anteriormente por séculos.

O grupo terrorista Boko Haram raptou e matou centenas de cristãos neste ano – devastando a cidade predominantemente cristã de Gwoza, no Estado de Borno, no nordeste da Nigéria, há duas semanas, afirma. Meio milhão de árabes cristãos foram expulsos da Síria durante os mais de três anos de guerra civil por lá. Cristãos foram perseguidos e mortos em países que vão do Líbano ao Sudão.

Se os Estados Unidos, e se especialmente os cristãos no país, deveriam liderar o mundo na luta contra este tipo de escalada de opressão, então eles deveriam aprender sobre o assunto em primeiro lugar, observou uma líder cristã.

O presidente do Portas Abertas nos EUA, David Curry disse ao The Christian Post quando ele assumiu o cargo no ano passado,

O maior desafio que eu acho que nós vamos enfrentar está em tentar fazer com que a igreja americana compreenda a dimensão e a magnitude da perseguição em todo o mundo que seus irmãos irmãs estão enfrentando hoje.

Estamos tão longe, mesmo com a tecnologia moderna, dos tipos de castigos e perseguições de que as pessoas estão enfrentando nestes países como a Coreia do Norte, Afeganistão, Arábia Saudita, e assim por diante que eu não tenho certeza que sejamos capazes de conceber.

No entanto, mesmo líderes e organizações que deveriam saber mais da gravidade da situação, parecem estar em silêncio, de acordo com Lauder.

As Nações Unidas têm estado caladas na maior parte do tempo. Líderes mundiais parecem estar envolvidos com outros assuntos neste estranho verão de 2014, escreve ele.

Não existem frotas rumando para a Síria ou o Iraque. E as belas celebridades e os roqueiros veteranos – Porque a matança de cristãos não parecem ativar suas antenas sociais?

Depois de explicar que o grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria

não é uma coalizão de grupos jihadistas, mas uma força militar real que conseguiu assumir grande parte do Iraque que usa o dinheiro de bancos e lojas de ouro que conquistou, juntamente com o controle dos recursos de petróleo e até da boa e velha extorsão, para financiar sua máquina de matar, tornando-se talvez o mais rico grupo terrorista islâmico no mundo.

Lauder diz:

… a indiferença geral para com o Estado Islâmico, com suas execuções em massa de cristãos e sua obsessão mortal com Israel, não é apenas errada, é obscena.

Ele escreve que, durante um discurso diante de milhares de cristãos em Budapeste, em junho, ele fez uma “promessa solene” que, assim como ele

não vai ficar em silêncio em face da crescente ameaça do anti-semitismo na Europa e no Oriente Médio, [ele] não será indiferente ao sofrimento cristão.

Historicamente, tem sido quase sempre o contrário: os judeus têm sido, muitas vezes, a minoria perseguida… os cristãos podem praticar abertamente a sua religião em Israel, ao contrário de grande parte do Oriente Médio, Lauder estados.

Ele acredita que “a união entre judeus e cristãos faz todo o sentido”.

Nós compartilhamos muito mais do que a maioria das religiões, escreve Lauder. Nós lemos a mesma Bíblia, e compartilham um núcleo moral e ético. Agora, infelizmente, nós compartilhamos um tipo de sofrimento: Os cristãos estão morrendo por causa de suas crenças, porque eles são indefesos e porque o mundo é indiferente ao seu sofrimento.

Depois de explicar que ele escreveu o artigo de opinião “como um líder judeu que se preocupa com os meus irmãos e irmãs cristãos”, ele conclui:

O povo judeu sabe muito bem o que pode acontecer quando o mundo está em silêncio. Esta campanha da morte tem que ser interrompida.

 

Fonte: 

The Christian Post

Imagem fonte: Reprodução Google


Nota: As notícias reproduzidas pelo site do Raciocínio Cristão ou suas mídias sociais (sejam elas cristãs ou não), são de responsabilidade de seus produtores. Sempre haverá o registro da fonte de origem da notícia no início ou final da mesma. O intuito de reproduzirmos as notícias em nossas mídias é disponibilizar aos nossos visitantes um atalho mais rápido a elas.

Avalie este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *