O Design Inteligente no Pseudo-Polegar do Urso Panda

Alguns darwinistas alegam que estruturas complexas em seres vivos são inúteis e não funcionais, e assim estes seres não devem ter sido projetados, mas sim evoluídos. Stephen Gould (In memorium), um paleontólogo da Universidade de Harvard, escreveu sobre um desses supostos exemplos de “bad design“: o pseudo-polegar do urso panda (Ailuropoda melanoleuca).

Ao contrário de uma mão humana, um panda não tem um polegar opositor. Ele possui cinco dedos, nenhum dos quais é oponível ao outro. Além disso, o panda possui uma ampliação óssea original em seu pulso chamado de “sesamoide radial“.

Ele às vezes usa este osso como um dedo a fim prender o bambu (sua dieta principal) em um movimento de pinça, e por isso os biólogos chamam de “polegar” do panda. Gould afirmou que este osso na mão do panda é “ineficiente”, deixa o panda “desajeitado” para comer, e “não ganharia nenhum prêmio de engenharia em Derby (cidade inglesa, conhecida no ramo da engenharia)”.chartO paleontólogo estava tão convencido da importância de sua tese que, em 1980, ele publicou um livro sobre o assunto chamado The Panda’s Thumb (no original em inglês) [1]; dois anos antes ele já havia escrito um artigo de revista acerca do mesmo tema [2]. No entanto, a tese de “bad design” de Gould estava errada. O erro dele estava em comparar a mão do panda com a de um ser humano, assumindo que o polegar do panda teria a mesma função. Por outro lado, Paul Nelson, um filósofo inteligentista, fez o seguinte comentário:

Embora o polegar do panda não seja o ideal para muitas tarefas (tais como digitação), parece adequado para o que parece ser a sua função habitual, descascar bambu. [3]

Um estudo científico corroborou a análise de Paul Nelson ao analisar o polegar do panda-gigante (Ailuropoda melanoleuca) por meio de tomografia computadorizada, ressonância magnética (MRI) e técnicas relacionadas. Ao contrário do que os darwinistas já expressaram sobre o “bad design”, estudos mostram que o osso sesamoide radial (seu “polegar”) é um dos sistemas de manipulação mais extraordinários entre os mamíferos [4-6].

As funções osso sesamoide radiais como um manipulador ativo permite ao panda agarrar hastes de bambu entre o osso e a palma adversária. Uma análise computadorizada das imagens tridimensionais indicam que o sesamoide radial não se move independentemente dos seus ossos articulados, mas age como parte de uma unidade funcional de manipulação. O osso sesamoide radial e osso acessório do carpo formam um aparelho eficaz que permite que o panda manipule objetos com grande destreza.

Os darwinistas dizem que o design do polegar do panda é ruim em comparação com o polegar opositor do primata. No entanto, o polegar opositor não é projetado para agarrar continuamente. Esse tipo de uso pode resultar na síndrome do túnel do carpo (basta perguntar a qualquer técnico de laboratório que tenha pipetado por muitos anos). Sendo um herbívoro, o panda-gigante gasta quase todas as suas horas de vigília comendo.

Ele coleta as folhas de bambu, segurando e descascando as folhas dos caules. Diante disso, ao contrário do que dizem os darwinistas, a presença de um polegar opositor (como o de humanos), sim, seria um projeto ruim para o panda, uma vez que não poderia funcionar sob o stress de uso contínuo. A mão do panda, com o seu “falso polegar” ligado aos metacarpos, é um projeto muito mais forte capaz de suportar o uso contínuo.

Os autores concluíram seu estudo com a seguinte declaração:

Nós mostramos que a mão do panda-gigante tem um mecanismo de garras muito mais refinado do que tem sido sugerido em modelos morfológicos anteriores. [7]

Outro estudo mostrou que o panda-gigante e o panda vermelho não foram relacionados, apesar de ambas as espécies possuírem o falso polegar. Além disso, um parente do panda-vermelho do período Mioceno (de 23 milhões a 5,3 milhões de anos atrás), também teve um falso polegar (evidência fóssil) [8]. Portanto, o evolucionista deve agora postular que este “bad design” evoluiu mais de uma vez!

Uma vez que o polegar ósseo do panda não é um projeto afuncional, muito pelo contrário, facilita o movimento e evita rompimento dos tendões, isso mostra que são falsas as reivindicações feitas pelos darwinistas ao longo dos últimos 150 anos de “órgãos vestigiais” e “bad design”; eles não compreendem e, por isso, não podem explicar as origens de qualquer estrutura biológica complexa na natureza.

E você, o que acha?

Conforme vimos no texto acima, o pseudo-polegar do Urso Panda é resultado de um processo acidental do acaso e do tempo, ou é um projeto de criação inteligente elaborado pelo Arquiteto da vida?

 

Fonte: TDI

Referências:

[1] Gould SJ. The Panda’s Thumb. New York: W.W. Norton, 1980.

[2] Gould SJ. The panda’s peculiar thumb. Natural History 1978; 87(9):20-30.

[3] Nelson P. Jettison the Arguments, or the Rule? The Place of Darwinian Theological Themata in Evolutionary Reasoning. Access Research Network, 1988. Disponível em: http://www.arn.org/docs/nelson/pn_jettison.htm

[4] Endo H, Hayashi Y, Yamagiwa D, Kurohmaru M, Koie H, Yamaya Y, Kimura J. CT examination of the manipulation system in the giant panda (Ailuropoda melanoleuca). J Anat. 1999; 195 (Pt 2):295-300.

[5] Endo H, Sasaki M, Hayashi Y, Koie H, Yamaya Y, Kimura J. Carpal bone movements in gripping action of the giant panda (Ailuropoda melanoleuca). J Anat. 2001; 198(Pt 2):243-6.

[6] Endo H, Hama N, Niizawa N, Kimura J, Itou T, Koie H, Sakai T. Three-dimensional analysis of the manipulation system in the lesser panda. Mammal Study 2007; 32(2):99-103.

[7] Endo H, Yamagiwa D, Hayashi Y, Koie H, Yamaya Y, Kimura J. Role of the giant panda’s ‘pseudo-thumb’. Nature. 1999; 397(6717):309-310.

[8] Salesa MJ, Antón M, Peigné S, Morales J. Evidence of a false thumb in a fossil carnivore clarifies the evolution of pandas. Proc Natl Acad Sci U S A. 2006; 103(2):379-82.

Avalie este artigo

Everton Fernando Alves

Mestre em Ciências da Saúde, autor de dezenas de publicações científicas nesta área, membro da Sociedade Brasileira do Design Inteligente (SBDI) e autor de um livro sobre a Teoria do Design Inteligente. Também é diretor de ensino do Núcleo Maringaense da Sociedade Criacionista Brasileira. Para saber mais sobre Everton, acesse a página Equipe no rodapé do site.

2 comentários em “O Design Inteligente no Pseudo-Polegar do Urso Panda

  • 4 de setembro de 2016 em 2:08 PM
    Permalink

    Esse site, sobre ciência e religião é muito interessante, nos trazendo luz em vários assuntos . Gostaria de receber atualizações.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão
      4 de setembro de 2016 em 3:36 PM
      Permalink

      Oi Heloísa, tudo bem?
      Escreva uma resposta a este meu comentário e antes de clicar no botão “publicar comentário” você seleciona a opção “Sim, quero me cadastrar para receber atualizações!” que está abaixo do botão.
      Depois veja se chegou um e-mail de confirmação no seu correio de e-mails e ative seu cadastro. Daí em diante você começará a receber nossas novas publicações.

      Muito obrigado por nos visitar. Deus te abençoe.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *