A verdade sobre o Dom de Línguas – O Cristão necessita falar em línguas estranhas para demonstrar comunhão com Deus?

Uma pessoa que começa a frequentar ou já frequenta alguma Igreja Pentecostal e correntes religiosas como a Renovação Carismática Católica, geralmente sente a necessidade de “falar em línguas estranhas” ou “falar a língua dos anjos”, pois esta é uma doutrina dessas denominações. Mas, isso é realmente necessário para mostrar comunhão com Deus?a verdade sobre o dom de linguasAo que parece, pelo menos nessas denominações religiosas a prática de “falar em línguas estranhas” é fundamental como uma prova de fé e de comunhão com o Espírito Santo de Deus. Mas, infelizmente existe um lado triste dessa questão: as pessoas que não conseguem falar as tais línguas, ficam aflitas pois presenciam seus irmãos de igreja realizando “tal feito” enquanto que com elas nada acontece.
Por que estas pessoas não conseguem falar as línguas estranhas ou dos anjos?

A resposta é simples: porque elas são sinceras e não se deixarem levar por ataques de histeria coletiva.

Nota: Se você achou pesada a afirmação acima, saiba que não estamos aqui para passar a mão na cabeça de ninguém, pois precisamos mostrar a verdade das escrituras, doa a quem doer. Se você é defensor dessa doutrina de línguas, não se perturbe com esse artigo, leia até o final, pois Deus quer abrir seus olhos, bem como o seu entendimento. Se você quiser também, pode deixar sua contra-argumentação a favor dessa doutrina nos comentários. Nós responderemos!

Se voltarmos no tempo – a partir do Éden – veremos que no princípio da humanidade havia apenas um idioma (língua), na qual Adão e Eva se comunicavam, além disso, usavam esse idioma para se comunicarem com o Criador, bem como também, posteriormente, Eva falara com Satanás na forma de serpente e vice versa.

A história da diversificação da linguagem humana contada pela Bíblia remonta aos tempos da Torre de Babel (Gênesis 11), a qual foi símbolo de confusão quando Deus separou os seres humanos por idiomas e os espalhou pelo mundo. Deus fez isto devido a vontade humana de gloriar-se a si mesmo em sua capacidade. Ou seja, antes havia apenas um idioma e todos se entendiam, mas a partir daquele momento, não seria mais assim.

Agora, indo mais á frente – no Novo Testamento – temos algumas passagens bíblicas sobre os dons que o Espírito Santo derramou sobre aqueles que se convertiam e se tornavam discípulos de Cristo – também chamamos isto de “Batismo do Espírito”, e a passagem mais utilizada para tal é Atos 2:1-12. Um desses dons dados pelo Espírito Santo é o de “falar em línguas estranhas“, ou “falar em muitas línguas“. Porém, para Deus sempre existe um propósito em qualquer coisa que Ele concede ao ser humano e esse dom não é diferente. Nele há um propósito muito maior do que simplesmente sair falando aos ventos por ai (ver 1ª Coríntios 14:9).

Infelizmente, o pentecostalismo e a renovação carismática acabaram por se render a glossolalia (um fenômeno que também é tratado pela psiquiatria), e continuam gloriando-se justamente naquilo que Deus fez para não se gloriarem: falar em línguas estranhas. A consequência disso é que aqueles que não conseguem “falar línguas estranhas” ou “língua dos anjos” são vistos como cristãos de categoria inferior, que não possuem o Espírito Santo em suas vidas.

Há também uma interpretação errônea da passagem de Romanos 8:9 que nada tem a ver com a questão de falar em línguas. Aliás, Efésios 1:13 afirma que somos selados pelo Espírito a partir do momento em que cremos em Jesus e não no momento em que “falamos línguas estranhas.

Mesmo após Babel, com tantas línguas diferentes, o homem continuou se comunicando com Deus sem precisar de intérpretes, bem como Deus e os anjos continuaram falando aos homens em diversas ocasiões sem necessidade de tradução. Ou seja, as diferentes línguas são um problema para quem vive no mundo material, não no espiritual. São um problema de comunicação entre homens, não entre Deus e os homens ou anjos e homens.

No dia de Pentecostes (Atos 2:1-12) Deus reverteu temporariamente o que havia feito em Babel, para mostrar que agora queria que Seu povo pudesse novamente se entender e alcançar graça. Os discípulos, cheios do Espírito Santo falaram em diferentes línguas, e judeus de várias nações os ouviram falar cada um em sua própria língua. Apesar de ter sido algo miraculoso, o texto deixa bem claro que não há ali qualquer menção de um idioma angelical ou estranho no sentido de um idioma espiritual, pois tratava-se de idiomas humanos e a própria passagem lista as regiões onde esses idiomas eram falados (ver Atos 2:8-11).

A ideia de alguém falar a “língua dos anjos” foi tirada da 1ª carta de Paulo aos Coríntios 13:1. Porém, nesse texto, Paulo em momento algum afirma ser capaz de falar a “língua dos anjos, na verdade ele usa a preposição, uma conjectura: “ainda que“, tentando explicar através de uma linguagem simbólica a representação de algo muito maior: o amor.

Neste contexto, aqueles que criaram uma doutrina de “língua ou idioma angelical” baseando-se no que o apóstolo Paulo falou, ainda não entenderam o que ele quis dizer e não sabem usar esse importante princípio de amor. É como uma criança que ganha um brinquedo e prefere brincar com a caixa.

Ainda na 1ª carta aos Coríntios, capítulo 14, Paulo continua a tratar do tema, na tentativa de mostrar qual era o verdadeiro princípio e propósito do dom de línguas, dando também algumas “regras” de conduta para um uso proveitoso desse dom.

1ª Coríntios 14:2: Neste versículo não há nada que indique língua dos anjos ou língua espiritual, mas um idioma desconhecido aos que escutavam.

Para ficar ainda mais fácil de entender, veja um exemplo mais abrangente desse versículo:

Porque o que fala em língua desconhecida (ex: japonês), não fala aos homens (que estão ouvindo), senão a Deus (porque Deus conhece todos idiomas), porque ninguém o entende (em japonês) e em espírito fala mistérios (porque está falando japonês com Deus em espírito).

– Obviamente, se algum irmão estiver falando com Deus em japonês, eu não vou entendê-lo (pois não falo japonês), ou seja, aquele diálogo seria um mistério para mim, mas não para Deus ou para os anjos, pois o idioma é algo restrito ao mundo físico, como dissemos anteriormente. O reino espiritual não tem dificuldade alguma em entender qualquer idioma humano.

O capítulo 14 é bem extenso, por isso é importante que o leitor veja por si só todo o contexto, pois vamos tratar apenas de alguns pontos importantes do capitulo. É interessante também que o apóstolo sempre trata o dom de línguas como sobrenatural, mas com uso exclusivo as coisas naturais, ou seja, ele está dando orientações sobre idiomas terrenos, e não celestiais:

Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos. Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida. 1ª Coríntios 14:18-19

A regra direta que toda igreja deveria seguir: 

E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. 1ª Coríntios 14:27-28

Nota: Não existe proibição de falar línguas (1ª Coríntios 14:39), mas deve-se usar este dom para profetizar, para pregar as boas novas da salvação e não para gloriar-se a si mesmo perante os outros na igreja.  

Existem outras passagens bíblicas que dão a entender que existe um idioma sobrenatural, ou angelical, e são usadas pelos que defendem a doutrina do dom de línguas de forma equivocada. Porém, todos são fáceis de explicar. Veja:

2ª Coríntios 12:4 – Mesmo que este versículo esteja falando de alguma língua angelical (o que não parece ser), também fica óbvio que o homem está proibido de falar palavras nessa tal língua, pois “ao homem não é lícito falar“.

Romanos 8:26 – Este versículo não fala diretamente de uma língua, mas de intenções do Espírito em nós, portanto, esses gemidos não são nossos, mas do Espírito.

O dom de falar em línguas não é prova de comunhão ou batismo pelo Espírito Santo, pois na Bíblia há vários relatos de pessoas que receberam o Espírito Santo e não falaram em línguas. E porque? Porque nestas situações não era necessário, veja alguns exemplos:

Novo Testamento: Lucas 1:15 e 41, Lucas 1:35; Lucas 1:67; Lucas 3:22; Atos 6:1-7; Atos 6:5, Atos 8:17.

Antigo Testamento: Êxodo 31:1-3; Juízes 6:34; Juízes 15:14; lª Samuel 10:10.

Ademais, alguém já viu alguma passagem que mostra Jesus falando em línguas estranhas ou língua angelical? 

Não! Ele até poderia se quisesse, mas não houve necessidade, e nem mesmo Ele quis gloriar-se a si mesmo.


Referências: Línguas e outros dons de sinais, Gordon H. Hayhoe

Imagem: Reprodução Google

A verdade sobre o Dom de Línguas – O Cristão necessita falar em línguas estranhas para demonstrar comunhão com Deus?
14 votos até agora

46 comentários em “A verdade sobre o Dom de Línguas – O Cristão necessita falar em línguas estranhas para demonstrar comunhão com Deus?

  • 29 de junho de 2016 em 4:33 AM
    Permalink

    Então é errado falar em línguas estranhas ??

    Resposta
    • 29 de junho de 2016 em 2:06 PM
      Permalink

      Oi querida, tudo bem?
      Acho que você não entendeu o conceito de falar em línguas. Errado é você achar que está falando algo que nem mesmo você sabe, errada é esse doutrina de “falar em línguas” que só usa isso para se diferenciar das outras doutrinas com um propósito de dizer que é cheia do Espírito Santo enquanto as outras doutrinas não. Também é errado impor isso aos crentes, como muitas denominações fazem.
      O propósito do dom de línguas, como falamos no artigo (falar em línguas as quais você nunca aprendeu, mas que o Espírito Santo te deu esse dom momentâneo) é evangelizar, levar a salvação às pessoas através da Palavra de Deus na língua a qual a pessoa entenda (conforme descrito em Atos 2:1-12). Por isso o apóstolo Paulo disse que se você fala em mistério, ou seja, se você fala com Deus numa língua que outra pessoa não entenda (como demos o exemplo do idioma japonês), fale apenas com Deus. Só use o seu dom em público somente com propósitos evangelísticos.

      Espero que tenha ajudado. Fique com Deus e obrigado por acessar nosso site! Estamos sempre à disposição caso surja outra dúvida. Abraços

      Resposta
  • 26 de julho de 2016 em 1:54 AM
    Permalink

    Olá, fico muito grata por essa explicação pois tenho sofrido muito com esse tipo de imposição no meu ministério. Não falo em línguas mas sinto a unção de Deus em mim. Tenho experimentado a comunhão com Deus. Mas muitos tem me falado que eu não sou batizada com o Espírito Santo por que não falo em outras línguas, pessoas até mesmo da minha família e isso tem realmente me deixado angunstiada, sem ânimo para ir para igreja mais. Tenho sofrido muito com esse assunto. Obrigada

    Resposta
  • 29 de julho de 2016 em 2:47 AM
    Permalink

    Olá .Salvei como favorito o site; mas não acredito que em todo contexto o falar em línguas eram idiomas da terra.pois se assim fosse .não precisaria de um dom para interpretá-las ,apenas conhecer o Idioma; Mas é uma benção .A Paz.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      29 de julho de 2016 em 2:55 PM
      Permalink

      Respeitamos sua opinião Jadilson. Fique com Deus. Grande abraço e obrigado por nos seguir!
      Deus te abençoe.

      Resposta
  • 30 de julho de 2016 em 3:27 AM
    Permalink

    Comecei a frequentar uma igreja Pentecostal e o “falar em linguas ” realmente me incomoda,pois não sei se é dom do Espirito Santo ou é enganação de espiritos malignos para enganar toda igreja

    Resposta
  • 1 de agosto de 2016 em 12:55 PM
    Permalink

    Olá bom dia!
    Também acho errado impor isso aos crentes, como muitas denominações fazem, porém argumentar que é errado falar em outras línguas desconhecidas acho um equívoco, eu não saio falando línguas por aí e nem dentro da igreja, porém já me peguei falando em outras em línguas dentro do meu quarto em comunhão com Deus e outra acho que está falando de uma coisa que vc. não conhece e conheci muitos cristãos que não são pentecostais e que já vi falando em outras línguas. Mais enfim essa discussão já é velha.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      1 de agosto de 2016 em 1:19 PM
      Permalink

      Olá Adeilton. Respeito sua opinião, mas o que escrevemos está de acordo com a Bíblia, você mesmo pode pesquisar tudo que fala a respeito na própria Bíblia. O grande problema hoje na cristandade é retornarmos às origens, ou seja, daquilo que realmente a palavra diz e não das nossas vãs interpretações. Nosso intuito com esse site e nossas mídias sociais é, além de defender o evangelho verdadeiro, trazer uma perspectiva realista do que a palavra nos ensina, e não simplesmente pegarmos um texto isoladamente para criar uma doutrina em cima dele. Entende?
      Você pode dizer que não conhecemos o que estamos falando, é julgamento seu, mas posso lhe garantir que conhecemos sim. Se você conseguir entender o que é o “falar em línguas”, já acaba com toda a confusão… por isso, com todo carinho, peço para que você releia o artigo, acho que se fizer isso com mais calma verá que o que colocamos não é nada mais do que está escrito na própria Bíblia.

      Muito obrigado pelo contato. Deus te abençoe!
      Grande abraço.

      Resposta
  • 3 de agosto de 2016 em 6:23 AM
    Permalink

    Primeiramente, naquela época, era muito difícil aprender um novo idioma em pouco tempo. Pensem bem: Deus usou a festa de Pentecostes, um evento que reunia pessoas de várias etnias e línguas diferentes para manifestar esse maravilhoso dom, com o propósito de que todos ali entendessem o que os discípulos estavam dizendo, e voltassem pra suas terras levando as boas novas do Evangelho de Cristo. Entendam, em tudo que Deus faz há um propósito evangelizador. Qual a utilidade para Deus em falarmos ”línguas estranhas?” O Espírito Santo irmãos, está conosco a partir do momento em que aceitamos Jesus Cristo como Senhor e Salvador! Ponto! Quer saber se uma pessoa é cheia do Espírito Santo? é muito fácil: é uma pessoa que semeia o caráter de Cristo em sua vida, assim ela terá os Frutos do Espírito, que pode ser visto em Gálatas 5:22.

    Você confia naquilo que você sente ou na Palavra de Deus contida na Bíblia? Jeremias 17:9 diz que nosso coração é enganoso, e nos pode fazer sair da razão, e se deixar levar por um momento de êxtase, muitas vezes impulsionado com louvores bem altos e palavras de efeito.

    Leiam 1 Coríntios 14 todo, mas orem antes pedindo sabedoria, assim como eu, que por muito tempo questionava acerca dessas coisas e também me sentia constrangido e até ”menos favorecido espiritualmente” por não falar em ”línguas”, e depois de um bom tempo, li 1 Coríntios 14, e vi que Paulo ali, está exortando os irmãos acerca dos dons, e o interessante é que em Bíblias que tem subtítulo no ínicio do capítulo , ali está escrito: O uso correto dos dons. Fiquem com Deus.

    Resposta
  • 17 de agosto de 2016 em 5:33 AM
    Permalink

    Não concordo com sua resposta, no fato que se referem que por não falar são pessoas sinceras ou não sabem fingir ou outra resposta…, sou batiza , não falo em línguas , porém acredito e busco, acredito que tudo que posso alcançar busco, não coloco como prioridade, mas oramos todos os dias ou até mais de uma vez por dia, na minha intimidade com Senhor busco. ” como sabedoria na palavra ou outros dons”, Infelizmente não é o caso de todos mais por uns não falar, ou não gostar ou buscar , acabar criticando muito, penso que aquele que busca a Deus em verdade em Espirito, pode ou não falar , TUDO é se DEUS quiser , poso buscar uma vida inteira mas se DEUS não quiser Nunca receberei, o que faço ? Continuo amando e Adorado da mesmo jeito, Sou pentecostal e na minha igreja tem quem irmãos que fala e outros não, Isso não é problema. Outra coisa não vejo como Doutrina trata-se de uma busca, quem busca recebe , mediante a vontade de DEUS. fica na paz

    A resposta é simples: porque elas são sinceras, não sabem fingir ou simplesmente não se deixarem levar por ataques de histeria coletiva.

    Resposta
    • 17 de agosto de 2016 em 3:09 PM
      Permalink

      Olá querida, tudo bem?
      Você tem todo direito de discordar do texto, mas te pergunto: com que base bíblica? Entende?
      É sobre isso que o texto fala, ou seja, dessas igrejas, principalmente as pentecostais que tiram toda uma doutrina em versículos bíblicos que nada dizem sobre aquilo, é na verdade uma interpretação muito errada das escrituras e infelizmente os crentes dessas igrejas, sejam sinceros ou não, vão na onda dessas doutrinas que não trazem nada além de confusão. A Bíblia fala uma coisa, mas a doutrina de línguas estranhas fala outra totalmente diferente.
      Com qual você prefere ficar? Nós preferimos a Bíblia, que é a base da nossa fé.
      Sabe aquela história de que uma mentira contada muitas vezes se torna verdade? Então, é isso que acontece com a doutrina de línguas. As pessoas são induzidas a acreditar numa coisa que não é o que a Bíblia ensina. Dentro disso, existem muitas pessoas (e é sobre estas que dissemos que são fingidas) que nunca tiveram esse “dom” mas para se adequarem a sua igreja, a doutrina dela, acabam entrando na onda, aprendendo as palavras que outros emitem e assim, repetem o mesmo erro.
      Fique tranquila, se você não é dessas pessoas, você está no caminho certo.
      E saiba que aqui nós não escrevemos aquilo que achamos que as pessoas vão gostar, mas sim o que é verdade, doa a quem doer, essa é nossa missão.
      Grande abraço e que Deus te abençoe e te guarde.

      Resposta
  • 17 de agosto de 2016 em 6:35 PM
    Permalink

    A palavra de Deus fala que não jugueis..
    Não vejo na bíblia falando que essa pessoas o que você está dizendo ou seja afirmando , na sua frase frase você afirma algo que não vejo na bíblia.

    A resposta é simples: porque elas são sinceras, não sabemas fingir ou simplesmente não se deixarem levar por ataques de histeria coletiva.

    Resposta
    • 17 de agosto de 2016 em 6:43 PM
      Permalink

      Querida, a Bíblia diz para não julgarmos para condenação, as coisas terrenas temos o dever de julgar. São coisas totalmente diferentes. Não julgamos ninguém, apenas a conduta. Você como cristã precisa saber separar estas coisas, ou do contrário aceitará tudo que vier sem questionar. Pense nisto!

      Fica com Deus, grande abraço.

      Resposta
      • 17 de agosto de 2016 em 9:44 PM
        Permalink

        Obrigado você é muito bom para dar respostas encerro minha participação.

        Fica na paz

        Deus e fiel.

        Resposta
        • 17 de agosto de 2016 em 10:08 PM
          Permalink

          Que isso irmã? Ficou triste?
          Desculpe se fui ríspido com você, mas já ouviu dizer que pra vc fazer inimigos basta dizer a verdade?
          Não quero que você saia com má impressão, porém o que disse está baseado na Palavra.
          O que achei interessante é que de todo o texto você só se importou com a frase que chama as pessoas de fingidas. Mas saiba que colocamos isso de propósito, pois a pessoa que faz esse tipo de coisa quando ler o que escrevemos, vai pensar melhor sobre, isso vai fazer ela estudar a palavra de Deus e não somente engolir o que uma igreja, pastor, padre, etc diz. Jesus disse “meu povo padece por falta de conhecimento”, era assim na época dele e ainda é assim hoje, as pessoas não se importam mais em estudar a Palavra, elas aceitam tudo que seus líderes lhes dizem, e absorvem doutrinas diversas.

          Pense bem, como eu disse anteriormente, não vou falar aquilo que você quer ouvir, mas sim o que é verdade mediante à Palavra de Deus. Essa é a maior prova de que me importo com você.

          Deus te abençoe! Abraço

          Resposta
      • 8 de setembro de 2016 em 1:05 AM
        Permalink

        Você é fraco demais, pois fala em comprovação bíblica, coisa que não adiantará em seu caso, quando a bíblia fala sobre quem fala em línguas somente Deus entende nem mesmo a pessoa entende já diz tudo. A línguas do anjos é uma prova, agora quando os anjos falam com os homens, claro que ele fala a língua humana senão quem entenderá. Quando a bíblia diz que eles falavam de forma que todos entendiam é por quê foi-lhe dado por Deus interpretação. Se você acha que vocês está sendo sincero eu também serei. Enquanto tu falas não entendes pois só quem tem o Espírito Santo é capaz e não não queremos ser maiores que os outros pois assim fossemos nos chamaríamos de sinceras, e vocês sabem fingir sim e estão vivendo uma vida de esteria.

        Resposta
        • 6 de outubro de 2016 em 2:32 AM
          Permalink

          Preste atenção no contexto de 1 Coríntios 14: 1-6:

          1”Sigam o caminho do amor e busquem com dedicação os dons espirituais, PRINCIPALMENTE o dom de PROFECIA.”

          2”Pois quem fala em língua não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios.”

          3”Mas quem PROFETIZA o faz para a EDIFICAÇÃO, ENCORAJAMENTO e CONSOLAÇÃO dos homens.
          Quem fala em língua a si mesmo se edifica, mas quem profetiza EDIFICA A IGREJA.”

          4”Gostaria que todos vocês falassem em línguas, mas PREFIRO QUE PROFETIZEM. Quem PROFETIZA é maior do que aquele que fala em línguas, a não ser que as INTERPRETE, para que a igreja seja EDIFICADA.”

          5” Agora, irmãos, se eu for visitá-los e falar em línguas, EM QUE LHE SEREI ÚTIL, a não ser que lhes leve alguma revelação, ou conhecimento, ou profecia, ou doutrina?”

          Perceba que Paulo já estava ciente de que havia um problema por causa do dom de línguas, que estava sendo usado de forma deliberada pela igreja. Ele desaprova o uso do dom quando não usado para outro fim senão para a edificação da igreja e não para ficar falando como forma de adoração ou de outra maneira:

          1 Coríntios 14:9 Paulo declara:

          ”Assim acontece com vocês. Se não proferirem palavras compreensíveis com a língua, como alguém saberá o que está sendo dito? Vocês estarão simplesmente falando ao ar.

          Em 1 Coríntios 14:12-13 ele fala:

          12”Assim acontece com vocês. Visto que estão ansiosos por terem dons espirituais, procurem crescer naqueles que trazem a edificação para a igreja.”
          13”Por isso, quem fala em língua, ore para que a possa interpretar.”

          1 Coríntios 14:16-17:

          ”Se você estiver louvando a Deus em espírito, como poderá aquele que está entre os não instruídos dizer o “Amém” à sua oração, visto que não sabe o que você está dizendo?”
          ”Pode ser que você esteja dando graças muito bem, mas o outro não é edificado.”

          Fique com Deus.

          Resposta
  • 20 de agosto de 2016 em 4:00 PM
    Permalink

    Boa tarde.
    Pelo que entendi falar em línguas estranhas é falar em outro idioma que n conhecemos ;até qd se esta falando com Deus em línguas estranhas se esta falando em outro idioma?mas o que ouço nas igrejas é quase sempre as mesmas palavras (ditas linguas estranhas).na bíblia fala que sse falo e n entendo devo procurar traducao;mas como vou procurar tradução se n sei qual a língua? Fico muito confusa sobre estes assuntos de falar em línguas. Obg.

    Resposta
  • Raciocínio Cristão (editor)
    20 de agosto de 2016 em 4:55 PM
    Permalink

    Olá Alessandra, tudo bem?

    Sim, o dom de línguas que a Bíblia menciona é o dom de falar outro idioma sem nunca ter estudado ele. Mas pra que serve isso? Este dom só serve para fins evangelísticos, por isso o apóstolo Paulo critica quem o usa para se autopromover.
    Sobre o que você comentou, de que nas igrejas você ouve quase sempre as mesmas palavras, é isso mesmo. Infelizmente foi o que dissemos no inicio do artigo, muitas pessoas pra não se sentirem “abaixo” das outras em relação a fé, acabam repetindo as mesmas palavras, mas nem sequer sabem o que estão fazendo. É puro fingimento, seja ele de forma intencional ou não. Ou pode ser o fenômeno que dissemos: glossolalia.
    Sobre o você procurar tradução, o apóstolo Paulo não fala que devemos procurar tradução, ele diz que se alguém for falar em línguas e os que ali estiverem não entenderem, que haja intérprete, ou seja, que alguém ali traduza o que a pessoa está dizendo, ou do contrário esse que “fala em língua estranha” deve ficar calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. “1ª Coríntios 14:27-28
    Por que o apóstolo Paulo estava prevendo uma situação onde pudesse ter uma pessoa na igreja que tivesse esse dom e quisesse manifestar ali, para que os outros o olhassem de forma diferente (mais santo), e por isso Paulo dá essa instrução, para que essa pessoa com esse dom ficasse em humildade de espírito, justamente por que o intuito do Dom de Línguas é levar a Palavra de Deus (Evangelho) para pessoas de outros idiomas e não ficar falando ao vento.

    Espero ter te ajudado, se ainda tiver dúvida, fique a vontade pra responder. Deus te abençoe!

    Resposta
    • 6 de outubro de 2016 em 3:12 AM
      Permalink

      Isso mesmo, eu me sentia dessa forma anos atrás, oprimido por não falar como alguns irmãos meus falavam e sentia a necessidade de falar também pra ”entrar no clube”. Estava afastado há pouco tempo, mas sei que sem Jesus nada sou e voltei há 1 ano em outra igreja e lá isso é corriqueiro, quando o pastor fala todos se exaltam, mesmo sem saber nada do que ele está dizendo, e alguns irmãos, inclusive de minha célula, e cada um tem a sua ”frase pronta” em línguas, e fico constrangido, porque estou tendo um curso de crescimento espiritual e na apostila diz que há ”dois níveis de dons de línguas”, o verdadeiro e único, outro que serve para ”edificação pessoal” se baseando em 1 Coríntios 14;2, e sei que será polêmico quando chegar a hora de estudar essa parte.

      Paz.

      Resposta
      • 25 de novembro de 2016 em 11:20 PM
        Permalink

        Se eles te rejeitarem, sacuda a poeira dos teus pés.

        Resposta
    • 14 de outubro de 2016 em 11:11 PM
      Permalink

      Olá, gostei muito do site, conheci agora e gostaria de compartilhar minha experiência.
      O falar em línguas é, por experiência própria, concedida pelo Espírito Santo, “em espírito fala em mistérios”, como diz a Bíblia. Mesmo orando no quarto, sou impelindo pelo Espírito a falar em línguas e não falo frases decoradas de outras pessoas, nem mesmo sei que frase vem a seguir, é algo espontâneo, espiritual. Por que seria um idioma terreno, se estou sozinho, orando e começo falar em mistérios?
      Concordo que não são línguas dos anjos, que no Pentecostes foram falados nos idiomas dos ouvintes e que jamais se deve medir o espiritual de alguém por elas.
      “Ore para que possa interpretar”, não haveria necessidade se conhecesse aquele idioma. Se Deus pode fazer alguém falar em outro idioma para evangelismo e edificação, por que não fazer alguém orar uma língua desconhecida para edificar-se a si mesmo? Faça o teste e peça para Deus ao orar, para ser impelido espiritualmente a edificar-se falando lingua desconhecida, mesmo que seja sozinho. “porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.” e “O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo”
      1 Coríntios 14:4

      A paz seja contigo.

      Resposta
  • 23 de agosto de 2016 em 7:36 AM
    Permalink

    Dois contra pontos pra reflexão: 1) imaginem doze apóstolos falando ao mesmo tempo para uma multidão de pessoas, cada um num idioma que não eram da cultura deles. Seria possível alguém entender? Eu acho que não. Se imaginarmos de forma física, natural ou racional, não!
    2) Paulo quando impunha aos mãos sobre algumas pessoas que conheciam o batismo de João, elas falavam em línguas estranhas. OPA! Mas existiam estrangeiros ali? Eu acho que não.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      23 de agosto de 2016 em 8:44 AM
      Permalink

      José, tudo bem?
      É o que dissemos e está de acordo com a Bíblia:
      “No dia de Pentecostes (Atos 2:1-12) Deus reverteu temporariamente o que havia feito em Babel, para mostrar que agora queria que Seu povo pudesse novamente se entender e alcançar graça. Os discípulos, cheios do Espírito Santo falaram em diferentes línguas, e judeus de várias nações os ouviram falar cada um em sua própria língua. Apesar de ter sido algo miraculoso, o texto deixa bem claro que não há ali qualquer menção de um idioma angelical ou estranho no sentido de um idioma espiritual, pois tratava-se de idiomas humanos e a própria passagem lista as regiões onde esses idiomas eram falados (ver Atos 2:8-11).”

      Está escrito nestes versículos de Atos, pode ler você mesmo. Agora, se você conseguiu tirar outra interpretação disso, desculpa mas não concordamos. Estamos indo de acordo com o que a própria Bíblia fala sobre o assunto.

      Abraços e fica com Deus.

      Resposta
    • 6 de outubro de 2016 em 3:27 AM
      Permalink

      Acredito que quando receberam o batismo pelo Espírito Santo, lhes sobreveio o dom de línguas estranhas, por isso começaram a falar em línguas, para saberem que receberam esse dom, pois como você sabe que recebeu um dom sem o utilizar? Como eles iriam saber que agora poderiam falar em línguas sem que pronunciasse algo para confirmar isso? Essa é a explicação mais plausível e coerente pra mim.

      Paz.

      Resposta
  • 4 de setembro de 2016 em 10:25 PM
    Permalink

    Artigo muito bem explicado e elaborado, uma argumentação muito racional, coisa que está escassa na maioria das igrejas que infelizmente se deixam levar por emoções humanas. A imaturidade e a ingenuidade de muitos crentes levam a Taís erros e imposições explicados no artigo acima, e fico triste por isso, pois não gera crentes sem firmeza como tbem afasta muitos outros de se a chegarem a Deus. Mas oestre disse: é mister que venham os escândalos, mas aí daqueles por quem vierem…
    Só pra completar a riqueza e conhecimento compartilhado no artigo em 1 Corintios 14 o apóstolo também orienta aos que falam em outras línguas que orem para que também a interpretem.
    Também quero dar uma dica para seu blog, seria bacana colocar links para a leitura dos versículos diretamente do blog pra não sabemos do artigo para abrir app da Bíblia ou ir buscar a Bíblia caso não estejamos perto dela.
    Eu tenho um blog sobre Bíblia também ainda em fase de construção se quiser trocar uma ideia sobre o assunto pode me enviar um e-mail para este mesmo que preenchi pra fazer este comentário. Abraço irmão

    Resposta
    • 4 de setembro de 2016 em 10:40 PM
      Permalink

      Olá Gabriel, tudo bem?
      Então, vou fazer isso sim, mas estou dando prioridade para outras questões que preciso acertar no site. De qualquer forma, obrigado pela dica.
      Que Deus abençoe seu projeto, quanto mais sites com conteúdos cristãos tiverem, melhor. Vamos alcançar almas para Cristo.
      Grande abraço.

      Resposta
  • 5 de setembro de 2016 em 9:57 AM
    Permalink

    olá meus amados!,fico muito satisfeito em saber que temos guerreiros nesta luta. Sabemos que o nosso adversário não dá trégua,ele esta sempre pronta a agir pra confundir povo de Deus.Principalmente quando se trata desse assunto de línguas não podemos nos calar em falar a verdade.Porque Deus ,não é Deus de confusão e sim um Deus de entendimento de clareza, transparência .

    Resposta
    • 5 de setembro de 2016 em 10:12 AM
      Permalink

      Amém querido. Que bom que vc encontrou essa verdade assim como nós. Deus te abençoe.
      Aproveite e se cadastre em nosso site para receber nossas atualizações.
      Grande abraço!

      Resposta
  • 9 de setembro de 2016 em 11:12 AM
    Permalink

    Olá, eu creio que pode sim ser idiomas, assim como tmb pode ser algo particular com Deus.
    Quando a bíblia fala em oração em linguas estranhas, eu lhe pergunto:
    – Para que eu vou orar em inglês, se eu posso orar em Português? O que vai me edificar? Que proveito eu terei?
    Eu acredito sim, que Deus pode me conduzir a falar em inglês, por exemplo na inglaterra, sem ao menos eu tivesse estudado o idioma. Deus é poderoso para fazer coisas que nem conseguimos imaginar. Mas creio também, que existe uma lingua celestial. Não quero dizer que todas as pessoas das igrejas pentecostais, que saem falando várias sílabas repetitivas, por imitarem outras pessoas falando, estejam corretas. Sou contra também, varias pessoas sairem falando causando desorganização no culto. Sou contra também, pessoas que usam para se auto promover atraves disso. Sou contra também, pessoas que dizem que só é batizado com espirito santo se falar noutras linguas.

    Resposta
    • 6 de outubro de 2016 em 3:49 AM
      Permalink

      Sim, é isso que Paulo quis dizer, porque se for para orar a Deus em línguas para ninguém entender e ser edificado, que oremos em silêncio, porque o dom é para objetivo de consolação, edificação, e exortação, e tem um versículo interessante em Mateus 6:6:

      ”Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará.

      Não há mais a desculpa de que quem ora em ”línguas” ora somente a Deus para edificação pessoal se você pode orar reservadamente em sua própria casa, e não falando um monte de coisas sem nexo que nem a pessoa e nem Deus sabe o que está querendo ser dito.

      Paz.

      Resposta
  • 20 de setembro de 2016 em 10:14 PM
    Permalink

    Olá. Encontrei este site hoje e fiquei encantada com tanto conteúdo interessante. Já está em meus favoritos. Concordo plenamente com a postagem. Que Deus os abençoe!!

    Resposta
    • 21 de setembro de 2016 em 2:50 PM
      Permalink

      Agradecemos querida. Que o site possa te ajudar em entender mais a Palavra de Deus. Grande abraço. Ah, caso ainda não tenha se cadastrado, cadastre-se para receber nossos novos conteúdos. Grande abraço. Fique com Deus.

      Resposta
  • 26 de setembro de 2016 em 3:52 AM
    Permalink

    É um pouco óbvio quando se lê Actos 2:4,8 e 11, que as línguas das quais os apóstolos começaram a falar eram línguas diferentes as deles, de outras nações afim de falar sobre a grandeza de Deus. Qualquer coisa diferente disso é histeria coletiva ou fingimento. Não há argumentos contra o que está escrito…

    Resposta
  • 26 de setembro de 2016 em 10:07 AM
    Permalink

    Amei esse assunto, sua explicação, e sou totalmente de acordo, o efeito Pentecostes se da justamente nisso, você fala na sua língua e eu entendo na minha, isso se for para anunciar a palavra de Deus, já ouvi tantas vezes as mesmas palavras ditas estranhas que falo fluentemente elas, são desconexas, é claro que o fator de se sentir excluído se não falar nas “línguas estranhas” força muita gente a simplesmente imitar o que ouvem, pergunte o que significa, só dirão é uma profecia, mas que profecia é essa? , não sabem dizer.Parabéns que Deus continue abençoando sua vida e seus estudos

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      27 de setembro de 2016 em 1:51 PM
      Permalink

      Agradecemos Pedro, continue conosco.
      Grande abraço. Deus te abençoe!

      Resposta
  • 13 de outubro de 2016 em 9:11 PM
    Permalink

    Gostei da explicaçao.ma o q fazer com o q diz 1 corintios 14.ali ta bem claro q quem fala lingua estranha nao fala aos homens so a deus e (ninguem) o entende.mas em espirito fala de misterios.meu amigo, imagina o q pedro te falaria.vc vem com esse papo pra irmã(do comentario acima) que foi de proposito que vcs colocaram aquelas afirmaçoes,mas na verdade vc foi deselegante e um mal educado. É facil falar as coisas assim né?mas vou te dizer uma coisa,a biblia nao se contradiz.

    Resposta
    • 13 de outubro de 2016 em 9:56 PM
      Permalink

      Olá, sobre 1Corintios 14, está explicado no próprio artigo querido.
      Sobre a questão do que está escrito sobre fingimento, esta é a verdade, mesmo que inconscientemente as pessoas se deixam levar para se sentirem acolhidas e com o “Espirito Santo”. Porém, por tudo que explicamos, a Bíblia não dá margem para este erro de interpretação. Este foi um costume que algumas igrejas pentecostais começaram e ainda hoje perpetuam, mas é falta de ler a Bíblia, somente isso.
      A Bíblia não se contradiz, isso é uma coisa que concordamos. Mas onde foi que dissemos que ela se contradiz?

      Resposta
  • 21 de outubro de 2016 em 4:35 PM
    Permalink

    Assistam o vídeo no youtube do Pr. Luciano subirá – oração em línguas, vai explicar tudo!!!
    Tem 2 horas e 1 minuto o vídeo.
    Falar em línguas e para todos, mas o dom é manisfestado quando o Espírito Santo quer para um fim de edificar a igreja.
    Vejam vídeos relacionados ao acima citado sobre conferências do Espírito Santo.
    Graça e paz!!

    Resposta
  • 25 de outubro de 2016 em 10:20 PM
    Permalink

    Quem estudou ou estuda história da Igreja vai observar que esse movimento pentecostal e recente, no contexto histórico, tudo começou em Los Angeles, Califórnia em 14 de Abril de 1906, com William Joseph Seymour.
    Tudo bem que cada um adora a Deus como queira, mas pra ser sincero a Bíblia não ensina isso.

    Desculpe os Pentecostais, o artigo está corretíssimo!!!

    Resposta
  • 9 de novembro de 2016 em 1:48 PM
    Permalink

    No dia de pentecoste os discípulos falaram em outras linguas ( estranha) o mistério ali foi que Deus fez o povo (ouvir) em suas línguas maternas. Pois o povo dizia: como o (ouvimos) falar em nossa língua. O propósito ali era chamar a atenção do povo. Não vimos mais isso acontecer em outra parte da bíblia. Até porque esse don não era pra evangelizar . No versiculo diz que o povo ouvia falar das (grandezas) de Deus. Fica claro porque logo em seguida Pedro fala a multidão em sua própria língua ou seja Pedro ( evangelizou) o povo e 3000 mil Almas de converteram.

    Resposta
    • 9 de novembro de 2016 em 3:30 PM
      Permalink

      Desculpe querido, mas tenho que discordar de você. Paulo deixa bem explícito que esse dom é para ser usado com um fim de pregação, isso está no artigo. Ademais, os discípulos nem sabiam que eles falavam outras línguas, mas Deus usou eles para pregar a Palavra (boas novas, que é a mesma coisa que evangelho) aqueles que eram de outras línguas mas ouviam como se os discípulos falassem na língua deles.

      Abraços

      Resposta
  • 3 de dezembro de 2016 em 6:13 PM
    Permalink

    Sou Paulo, gostaria que me fosse esclarecida uma certa dúvida: já ouvi muitos dizerem que o dom de línguas já cumpriu o seu propósito, ou seja para que se alcançasse os povos de idiomas diferentes. A exemplo, já que o ccaa não estava em voga na época, fosse o caso, o dom de língua (idioma inglês) se manifestaria em alguém responsável pela evangelização. Questão: nos dias atuais já a possibilidade de alguém falar numa língua estranha em oração? Entre esse alguém e Deus. Não consegui entender o falar em línguas e o intérprete, como seria isso. Mas se admitirmos que alguém possa falar numa língua estranha e um intérprete fizesse a leitura disso para a igreja, aí estaríamos a falar de uma profecia, isso? Mas aí não estaríamos a falar de uma língua de anjos? Por favor, respostas. Grato!

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      5 de dezembro de 2016 em 1:14 PM
      Permalink

      Olá Paulo, tudo bem?
      Desculpe pela demora em responder. Não sei se vou tirar sua dúvida mas achei muito interessante essa questão que você propôs. Se pensarmos que algumas coisas realmente findaram com o passar dos anos e o aumento do saber humano, neste sentido pode ser que não seja mais necessário esse dom, pelo menos para o fim que ele se propõe. Como outro exemplo, temos a cegueira que Jesus curava, paralíticos que voltavam a andar, etc… são coisas que com o aumento da ciência médica já são resolvidas com tratamentos e tecnologias médicas. Nem todos os casos, obviamente, mas uma boa parcela.
      Talvez para aquele tempo, como você bem disse, onde não existia um CCAA da vida, esse dom fosse algo essencial para propagar as boas novas. Mas, pelo que entendemos na Bíblia, quando Deus dá um dom para uma pessoa, não é algo temporário, mas que essa pessoa levará até morrer. Dentro dessa questão, o dom de línguas que os discípulos de Jesus obtinham estavam sendo utilizados como um fator de autopromoção por eles. Foi isso que Paulo condenou. Como dissemos no artigo, não existe proibição de falar línguas (1ª Coríntios 14:39), mas deve-se usar este dom para profetizar, para pregar as boas novas da salvação e não para gloriar-se a si mesmo perante os outros na igreja. 1ª Coríntios 14:18-19.
      Sobre o interprete: Paulo está falando que se alguém possui esse dom de línguas e queira utilizá-lo para algo que não seja profetizar, evangelizar, obter o crescimento da igreja, conversão, etc… que fique calado. Por que se não houver alguém ali na igreja que fale na mesma língua que o possuidor do dom fala, não há necessidade de ouvi-lo. Mas se a igreja quiser saber o que ele tem a dizer, deve existir ali um interprete que entenda qual língua está sendo falada para reproduzir o conteúdo para a igreja entender. Se de tudo não houver um interprete, essa pessoa que fala em línguas (outro idioma) deve ficar calada, pois está chamando a atenção para si sem nenhum propósito, está se autopromovendo. 1ª Coríntios 14:27-28

      Resposta
  • 6 de dezembro de 2016 em 9:41 AM
    Permalink

    Eu respeito o fato de as pessoas seguirem uma teoria diferente da minha. Provavelmente eu iria concordar com tudo deste texto caso não tivesse acontecido comigo.
    Dizer que os que falam em línguas estão guiados por uma histeria coletiva, são ignorantes, sem personalidade para discernir a Palavra de Deus ou mesmo, estão sendo usados pelo Diabo, é no mínimo uma luta arrogante e prepotente contra cristãos que acreditam nesses dons.
    A palavra é luta. Luta não para espalhar a Palavra de Deus do jeito que pensam apenas, mas para denegrir aqueles que pensam diferente.
    Quando tive as minhas primeiras experiências com Deus eu mal tinha dois meses frequentando a Igreja. Era muito nova, em torno dos 14 anos. A maioria das minhas experiências foram em particular, orando em minha casa. Nunca participei de meninices e histerias coletivas. Eu busquei, senti e até vi. Claramente pude perceber o sobrenatural de Deus mesmo sem ter tido muita educação a respeito ou mesmo sem ter escutado pregações de pastores que impunham tais dons para que eu pudesse ser melhor aceita. Aliás, a cobrança de irmãos quanto a essas coisas vêm por pura ignorância, falta de bom senso e educação. Os atingidos por esses (muitos que comentaram aqui) preferem não acreditar a entenderem que estão lidando com pessoas intolerantes, e sem educação. Esse foi o maior motivo de eu parar de frequentar tanto Igrejas pentecostais como muitas outras Igrejas não pentecostais que pareciam mais seitas.
    Não adianta fugir do fato de que, as coisas de Deus se discernem através de estudo sim, mas espiritualmente principalmente. Uma sem a outra é mera opinião humana.

    Resposta
    • Raciocínio Cristão (editor)
      6 de dezembro de 2016 em 12:16 PM
      Permalink

      Olá querida, obrigado por comentar!
      No artigo dissemos que o dom de línguas existe, mas biblicamente não é da forma como denominações por aí dizem. Como Paulo disse em 1ª Coríntios 14:18-19, ele falava mais línguas que todos presentes na igreja de Corinto, ou seja, mostra claramente que o dom de línguas é falar em idioma ou idiomas diferentes ao que você aprendeu depois de nascer (idioma nativo). Você disse ter esse dom, isso é contigo e Deus. Mas, se você usa esse dom para outros fins que não seja propagar o evangelho, o melhor é seguir a recomendação do apóstolo Paulo, que é falar em secreto com Deus ou do contrário, você estará apenas gloriando-se a si mesma, entende?
      Eu acredito que você deva orar à Deus e saber como e onde utilizar esse dom. Isso seria muito bom, usá-lo para um fim proveitoso.

      Grande abraço e fique com Deus.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *