Será que a Igreja Metodista sucumbiu diante do Islã?

Um site metodista postou recentemente notícia com a seguinte chamada:

Muçulmana ataca intolerância com bronze e rebate Trump: “divide muçulmanos”[1].

Contudo, apesar dos intrínsecos aspectos multiculturalistas[2] e antiocidentais da matéria, não houve exposição do posicionamento cristão acerca dos absurdos ali descritos que comumente são enaltecidos pela imprensa em geral. Justamente na oportunidade que os evangélicos têm de combater essas concepções ideológicas danosas que norteiam a imprensa objetivando a destruição das bases da civilização judaico-cristã, a omissão ou mesmo “conivência” acaba se tornando a resposta que retrata a covardia de parte das comunidades religiosas brasileiras que apoiam, mesmo que implicitamente, ações muçulmanas e ignoram a perseguição atroz que marca a vida cristã em países muçulmanos.chartA imprensa ovacionou a violação da regra do Comitê Olímpico Internacional de proibição de manifestação religiosa perpetrada pela “atleta-ativista muçulmana norte-americana” subindo ao pódio para receber a medalha de bronze com um hijab (véu islâmico), que inequivocamente retrata valores da religião muçulmana. No entanto, o mesmo ato de manifestação religiosa perpetrado por Neymar ao usar uma faixa com os dizeres “100% Jesus” gerou condenações enérgicas porque nos pódios multiculturalistas a glória só é devida a Alá!

Aliás, o Comitê Olímpico Internacional em fúria já noticiou que fará reclamação[3] do comportamento do jogador ao Comitê Olímpico Brasileiro. E muito embora a regra da entidade estabelecer que nenhum sinal comercial, político ou religioso deve integrar a cerimônia de entrega de medalhas nos jogos olímpicos, a atleta muçulmana não recebeu reprimenda alguma do COI. Se recebesse, por certo, a reclamação teria sido tachada como islamofóbica.

Contudo, o blog metodista escolheu acolher e divulgar sem nenhuma crítica explícita a matéria que demonstra a sharia (lei islâmica) comandando a imprensa e entidades esportivas mundiais, pois criticar preceitos da fé muçulmana é proibido pela religião, ainda que o preceito viole uma regra ocidental. Por desconhecer a ética islâmica, a maioria dos ocidentais não sabe que a sharia está acima de qualquer lei secular, e por isso a muçulmana obedeceu a regra religiosa quebrando uma regra geral.

E antes que um multiculturalista desavisado venha tecer críticas afirmando que o uso do hijab é apenas uma tradição cultural dos muçulmanos, devo me aportar na própria matéria jornalística que aduz :

“Muçulmana, a esgrimista foi a primeira atleta da história dos Estados Unidos a competir em uma olimpíada vestindo trajes para cobrir a cabeça, de acordo com as tradições de sua religião”.

Como a matéria postada pelo blog metodista afirma que a atitude da atleta muçulmana é de protestar contra a “intolerância religiosa”, leia-se islamofobia, é de crucial importância perguntar ao leitor: acaso você já leu nos noticiários da grande mídia massacres e crimes brutais cometidos por cristãos ou ocidentais contra muçulmanos? Tem lido sobre destruição de diversas mesquitas como acontece com igrejas no mundo muçulmano? E estupros coletivos contra muçulmanos? Vê ocidentais cortando a garganta ou fuzilando muçulmanos dentro de mesquitas como acontece com cristãos sendo assassinados de maneira tão bárbara por muçulmanos no interior de igrejas na Europa e na “Turquia secular“?

E se há tênue oposição de ocidentais quanto à fé islâmica não seria pelo fato de a maioria esmagadora das mesquitas na Europa e EUA serem comandadas por extremistas islâmicos que apregoam a destruição do Ocidente através da jihad (guerra contra não-muçulmanos)? O que a atleta muçulmana chama de intolerância, é na verdade luta pela sobrevivência através do combate contra o fundamentalismo islâmico que tornou-se ameaça epidêmica contra a civilização ocidental.

Na oportunidade, devo ressaltar que, na preocupação de não criticar injustamente a administração do blog, tive o cuidado de ler as matérias postadas sob as tags “Islam[4]” e “intolerância[5]”. Eis as postagens sobre o Islã:

Polícia francesa, com armas, obriga muçulmana a tirar parte da roupa em praia de Nice;

– Estado laico ou islamofóbico? Cidades francesas proíbem o uso de “burkine” em praias;

– Estado Islâmico teme Papa Francisco e instrumentaliza sobre a questão dos gays;

– Espiritualidade muçulmana x Jogo Maniqueísta do terrorismo.

Acredite se quiser: até o esquerdista Frei Beto tem artigo[6] publicado no blog defendendo ardorosamente o Islã. Todavia, o “espaço virtual evangélico” que defende “com unhas e dentes” os direitos dos muçulmanos em Estados laicos não postou uma matéria sequer sobre a perseguição muçulmana às minorias étnicas, religiosas e de gênero na África, Ásia, Oriente Médio e Europa, e muito menos sobre o caos de ameaças e agressões diárias que vivem os refugiados cristãos perseguidos por refugiados muçulmanos dentro de abrigos europeus.

A vergonhosa e inaceitável omissão desse blog metodista à terrível perseguição[7] dos seus irmãos de fé no mundo muçulmano e a consequente glorificação dos direitos muçulmanos no Ocidente são evidentes sinais de que parte da Igreja brasileira está doente e já absorveu na prática o conceito de sharia, que significa “submissão”.

É isso: parte da Igreja já se submeteu ao Islã e ao discurso politicamente correto para se adequar aos “padrões mundanos de comportamento”. Só espero que o blog que comento não retrate o posicionamento de todos os metodistas, o que seria extremamente lamentável e incompatível com a doutrina de fé cristã.

 

Referências:

[1] Metodista – Mídia, Religião e Política: Muçulmana ataca intolerância com bronze e rebate Trump: “divide americanos”

[2] Multiculturalismo: princípio que defende a coexistência de diferentes culturas num mesmo espaço territorial incentivando a imigração em massa e impedindo a realização de movimentos que visem a assimilação dessas culturas.

[3] Ig Esporte: COI muda de ideia e mandará carta para reclamar de faixa religiosa de Neymar

[4] Metodista – Mídia, Religião e Política: Tema (tag) Islam

[5] Metodista – Mídia, Religião e Política: Tema (tag) Intolerância

[6] Metodista – Mídia, Religião e Política: Espiritualidade muçulmana [ x jogo maniqueísta do terrorismo]

[7] Portas Abertas: Perseguição aumenta em 2015

Imagem fonte: Reprodução Google

Será que a Igreja Metodista sucumbiu diante do Islã?
1 votos até agora

Andréa Fernandes

Andréa Fernandes

Graduada em Direito, Ciências Contábeis e Relações Internacionais, é Diretora-Presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, instituição humanitária que milita denunciando a perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano junto ao Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos públicos, bem como promove eventos objetivando fomentar conscientização humanitária para socorrer as vítimas da intolerância religiosa. É também colunista no Portal Gospel Prime. Para saber mais sobre Andréa, acesse a página Equipe no rodapé do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *